Quanto custa ter um filho?

19.04.2013

-

Por Governess Consultoria Familiar

Quanto custa ter um filho?

Antoniele Fagundes*

Após muita espera e planejamento, o casal descobre que está grávido! Os novos corujas ficam eufóricos e desejam ansiosamente o momento do nascimento do filho. São nove meses marcados por uma looonga espera e com muitos preparativos. É preciso ter cuidado para não transformar esta ansiedade em compras excessivas de itens do enxoval do bebê.

Muitos escritores e mamães já falaram sobre as maravilhas da maternidade, inclusive eu. Mas um assunto pouco falado é sobre a consciência financeira neste momento mágico. Além da felicidade e do desafio de educar, criar um filho traz despesas – algumas fixas e outras esporádicas. É possível suavizar os custos se a família fizer uma análise das reais necessidades antes de sair comprando sem parar.

A grande dica é esperar a necessidade para comprar qualquer coisa que seja. Claro que quando pensamos em um recém-nascido, não dá para esperar ele necessitar trocar as fraldas para irmos até a farmácia. Mas isso é possível em outros itens que podem esperar a necessidade. Uma maravilhoso exemplo é a cadeira de alimentação.

Muitas famílias, antes mesmo de a criança nascer, já querem modificar todos os cantos da casa. Ficam enlouquecidas colocando grades nas janelas, protegendo as quinas dos móveis e retirando todos os adornos das mesas. Tudo isso deve ser feito ao longo do tempo, até o neném começar a se movimentar sozinho. Normalmente esse processo dura pelo menos seis meses. Marque isto: primeiro a necessidade, depois a solução!

Comprando tudo na medida certa, não concentra os gastos apenas no pré-natal. Deixe isso para depois e se concentre em outras questões importantes. O orçamento do casal será afetado gradualmente se  souber como gastar. Lembre-se que tem alguns primordiais, como: pediatra e vacinas. Até o primeiro ano de vida vai todos os meses ao pediatra e tomará um grande número de vacinas.

Na gravidez é um bom momento para pensar em contratar um plano de saúde.  Os custos com o parto, quando não realizados no sistema público, costumam ser altos. No Brasil infelizmente o sistema público de saúde ainda deixa muito a desejar! Quando falar nas seguradoras se informe a respeito de carências em casos de gravidez. Se você já possui um convênio, agende consultas com alguns pediatras antes do seu filho nascer. Não esqueça de saber tudo sobre as carências e os valores de reembolso para as consultas pediátricas e quais os procedimentos a seguir.

As vacinas do calendário nacional de vacinação são oferecidas gratuitamente nos postos públicos de saúde. Então, vacine seu filho no posto público e só pague por aquelas vacinas que seu pediatra julgar importante e que o posto de saúde não ofereça.

Vamos falar um pouco sobre o enxoval do bebê? Preparei uma listinha de itens básicos para a mamãe de primeira viagem que quer deixar seu filhote equipado por completo.

Um enxoval básico é composto:
Bodies de mangas curtas : 6 peças
Bodies de mangas longas: 6 peças
Culotes: 6 peças
Meias: 6 pares
Macacões: 6 peças
Casacos para frio: 2 peças
Fraldas de tecido: 6 peças
Toalhas: 3 peças
Toalhas-fralda: 6 peças
Lençol para carrinho: 2 conjuntos
Protetor de berço: 1 kit
Lençol para berço: 3 conjuntos
Mantas: 1 leve, 2 médias e 1 mais pesada
-1 bolsa de passeio que caiba algumas roupas, trocador, etc.

Considerações: Acho válido comprar roupinhas em tamanhos RN, 0-3 e 3-6meses. Não vejo necessidade de comprar muitas roupinhas de passeio para os primeiros meses. Isto porque a maioria dos pediatras recomenda que o bebê fique em casa até que ele tome as primeiras doses das vacinas, em geral até os 3 meses. Por isso prefira as roupas mais confortáveis!

Itens para higiene:
– 1 Banheira*
– 1 Tesoura sem ponta, 1 cortador de unhas e 1 lixa
– 1 Escova para recém-nascido e 1 pente
– 1 Kit de higiene: garrafa térmica, cumbuca para água e porta algodão.
– 1 Trocador para a cômoda
– 1 Trocador portátil

*Considerações: A banheira deve ficar no banheiro, e não no quarto. Isso porque facilitará muito, evitando inclusive acidentes na hora de encher o recipiente de água.

Mobiliários básicos e assessórios:
– 1 berço
– 1 cômoda
– 1 cadeira para amamentação
– 1 carrinho de passeio
– 1 cadeira para colocar no carro
– 1 Babá eletrônica
Considerações: Para o quarto é importante priorizar o conforto e a praticidade, afinal mamãe e filhinho irão passar muitas horas neste ambiente.

O berço adequado é aquele que possue regulagem de altura. Para os primeiros dias o berço deve ser posto na regulagem alta para evitar que a mãe se abaixe após o parto. Em cima da cômoda, acomode o trocador fixo e os itens de higiene do bebê. Nas gavetas mais altas guarde as roupinhas de RN e nas demais as roupas maiores, mantas, roupa de cama e fraldas.

Itens de perfumaria:
Algodão em rolo: 2 pacotes
Lenços umedecidos: 2 pacotes
Sabonete neutro cabelo e corpo: 2 unidade
Fraldas descartáveis: 2 pacotes
Pomada para assaduras: 2 bisnagas
Considerações: A lista de itens de perfumaria deve ser composta de dois itens para cada produto. Sempre um em uso e um em estoque. O momento de repor cada produto é quando o do estoque for aberto. Assim você terá sempre um em uso e um em estoque. Esta lista é importante, pois ela deverá ser reposta com grande frequência!

A pomada para assaduras deve ser usada com economia. Escolha uma boa pomada e passe uma pequena quantidade no bumbum do bebê a cada troca.

Os lenços umedecidos devem ser usados somente quando o bebê for trocado fora de casa. Para as trocas em casa coloque água quentinha dentro de uma garrafa térmica e umedeça o algodão.

Eu aconselho comprar algodão de rolo, ele dura mais e é mais barato do que os quadradinhos e os de bolinhas.

Não caia na armadilha de trocar as fraldas do seu bebê a todo o momento. Como nas primeiras semanas o bebê evacua com frequência, espere para trocar as fraldas dele somente quando ele tiver evacuado. Assim poderá conhecer o funcionamento do organismo do seu bebê e economizar com as fraldas.

Se a casa não contava com uma empregada doméstica fixa, talvez seja o momento de pensar em contratar uma. Pois, a mamãe estará ocupada cuidando do filho e descansando quando ele dorme afinal os primeiros meses são bastante cansativos.

Eu não aconselho contratar uma babá logo de cara. Primeiro os pais devem vivenciar a chegada do filho, curtir os três e aprender como o filho é e como ele se comporta.

Muitas mamães que trabalham optam por não retornar ao trabalho com a chegada dos filhos. Esta decisão representará uma entrada a menos no orçamento do casal. Então, eu acho que se a mãe optar por deixar o emprego, que seja por uma causa nobre: para cuidar do filho! Não é legal é a mãe deixar o trabalho, abandonar seus projetos profissionais, contratar uma babá e ficar em casa administrando a babá que cuida do seu filho, concordam?

Por fim, papais e mamães, cautela ao comprar e gastar no mês a mês! Leiam sobre criar filhos, passeiem juntos no parque, observem as crianças, façam ioga ou pilates….resolvam de um jeito mais saudável a gostosa ansiedade que os nove meses de gestação proporciona!

O que você achou?

Um beijão,

Antoniele

*Antoniele Fagundes estudou filosofia, psicologia e psicanálise. Atua como Consultora Familiar orientando familias em todas as questoes domésticas e familiares. Fale com ela através do e-mail antoniele@governess.com.br.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Governess Consultoria Familiar

Governess Consultoria Familiar

Organize-se

close