Quem vence: Carreira X Gravidez?

Quem vence: Carreira X Gravidez?

O cenário do mercado profissional está mudando. Ao mesmo tempo que a mulher quer construir uma família, também luta para atingir melhores posições no trabalho. Este é um dos motivos que explica a queda da taxa de fecundidade no Brasil de 6,16 filhos por mulher em 1940, para a média de 1,9 em 2010. Por mais que se casem, cada vez mais as mulheres estão adiando a maternidade. Segundo o IBGE, entre os anos de 1991 a 2000 o número de gestantes com mais de 40 anos cresceu 27%.

Estamos estudando mais e podemos conquistar bons cargos – e salários. “Eu acredito que as mulheres têm potencial de assumir cargos de gestão. Só que para conseguir chegar lá não tem segredo… tem que saber se impor e ter um perfil mais duro”, afirma Lea Federmann, sócia da consultoria 2get, empresa que presta serviços de recrutamento de executivos em posições de liderança.

Dificuldades na carreira
Acredite, você pode conquistar o cargo que deseja e as mulheres podem dar um jeito de driblar tudo com maestria. “Ao meu ver, ainda há preconceito no processo de seleção. Existem empresas que tem restrição a mulheres em cargos mais altos. Muito homem acha que na hora do vamos ver, a mulher vai chorar. Além disso, também acreditam que a mulher vai engravidar assim que entrar na empresa”, diz Lea.

Gravidez pode atrapalhar?
Ter um filho é o dilema de muitas mulheres que estão indo bem em suas carreiras. Temos que mudar a nossa forma de pensar. É possível trabalhar e manter uma família. “Estou no terceiro mês de gestação e não foi nada planejado. Estou aí, trabalhando todos os dias, por mais que não esteja disposta. Tem aquele ditado e eu acho que é válido: gravidez não é doença”, opina a especialista.

No livro “Faça Acontecer”, de Sheryl Sandberg, uma das maiores executivas do Facebook, o conselho é claro: quando você recebe uma proposta de um novo emprego, desafio profissional ou mesmo aquela promoção, não importa se você está grávida, ou mesmo pensando em engravidar. É isso mesmo: a executiva acredita que é melhor até aceitar este tipo de proposta durante a gravidez, e não evitar mais responsabilidade. Sabe por quê? Na hora de retornar da licença-maternidade, você terá mais ânimo de voltar ao trabalho se estiver fazendo algo que ama e que a desafia. Se você não faz aquilo que ama, as chances de voltar a trabalhar depois do parto são pequenas…

Dicas de ouro
1.
Saiba que você não é vítima. Nem todos vão estar com os olhos voltados para você. Lembre-se: gravidez não é doença!
2. Aprenda a dividir as suas atividades. Centralizar tudo vai te prejudicar. Envolva outros colegas de trabalho nas suas funções. Mas cuidado para não exagerar: você não pode ser a ingênua que acha que ninguém vai querer ocupar o seu cargo durante a sua licença!
3. Tenha certeza de uma coisa: você também pode entregar o seu trabalho com qualidade mesmo grávida.
4. Numa seleção, seja honesta, mas com limite. Não precisa sair contando que está já tentando engravidar – mas pode falar sim que ter um filho está no seu cenário.
5. Caso tenha filhos, não esconda, mas antes de te perguntarem como você equilibra tudo, já conte como funciona a sua vida profissional com eles, ou como é o seu plano de equilibrar tudo isso agora com o novo cargo. Destaque que você é capaz de controlar tudo e ainda entregar resultados. O mesmo vale para as grávidas!

Temos que lembrar que são as mulheres que ficam grávidas, mas que isso não foi impedimento para milhares e milhares de mulheres atingirem o sucesso profissional. Não dá para ter tudo ao mesmo tempo, mas é possível sim organizar uma carreira e ter uma família estruturada. Se você é casada ou namora, é hora de seu parceiro ser realmente parceiro – ele também faz parte dessa história e pode te ajudar a equilibrar carreira e família. Quem disse que marido não pode lavar a louça, buscar os filhos na escola ou trocar as fraldas? Pode e deve!

Já passou por isso? Conte a sua história pra gente.

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close