Quero comprar meu apartamento!

Quero comprar meu apartamento!

Receber as chaves de um apartamento ou uma casa e perceber que ela é toda sua pode, com toda certeza, entrar para a lista dos momentos mais emocionantes da vida de alguém. Todo mundo sonha com a casa própria e, vez ou outra, tenta fazer as contas para projetar em quanto tempo conseguiria comprar um imóvel.

A crise econômica acabou contribuindo para desaquecer o mercado imobiliário. O resultado? Preços cada vez mais baixos: em 2016, a queda real foi de 4,8% de acordo com o índice FipeZap, um dos indicadores do mercado imobiliário, e tudo indica que o processo continuará. Isso até parece uma ótima notícia, mas o efeito só está acontecendo porque as pessoas vêm comprando cada vez menos graças ao cenário de desemprego, baixo poder de compra e restrição na concessão de crédito.

Você deve estar se perguntando onde entra nessa história, não é mesmo? Já vamos te dizer: enquanto o mercado imobiliário esfria, você não pode simplesmente desanimar e achar que não terá condições de comprar seu próprio imóvel. A questão é saber se preparar para encarar o momento e optar pela melhor forma de juntar dinheiro. Todo cuidado é pouco na hora de fazer uma dívida deste tamanho, então, tenha na manga uma boa reserva – ganhará quem puder comprar à vista ou dar entrada de mais de 50% do valor do imóvel para negociar bons descontos e não se perder em meio a juros de financiamentos.

como comprar um apartamento

Financiamento é a melhor opção?

Antes de tirar a caneta da bolsa para assinar o contrato, pondere algumas coisas. Coloque na ponta do lápis quais são os juros que você vai pagar por ano com esse financiamento e também o acumulado ao final da última parcela. Mais do que isso, saiba muito claramente qual é o Custo Efetivo Total (CET) deste financiamentoO cuidado é o mesmo que recomendamos na hora da tomada de um empréstimo, não vale a pena contrair uma dívida que vai te dar dores de cabeça com juros altos e taxas abusivas.

A longo prazo, juros de financiamento pesam bastante. Quando tiver acabado de quitar seu imóvel, é bem possível que você tenha gastado o suficiente para pagar outro muito melhor. 

Mas e aí, eu continuo no aluguel?

Pode parecer loucura, mas dependendo da situação é mais vantajoso permanecer no aluguel por mais um tempo. Claro, nesses casos você vai ter que pesquisar as opções mais econômicas de moradia. Isso significa se privar de um conforto maior agora para colher frutos do sacrifício no futuro.

Se você conseguir pagar um aluguel que não consuma a maior parte do seu salário e dos seus rendimentos, pode juntar mais dinheiro para dar uma entrada mais volumosa no seu próprio apartamento. Quanto maior a entrada, maior seu poder na hora de negociar um desconto. 

Leitura complementar

O Que Vale Mais a Pena: Comprar ou Alugar?

O Que Vale Mais a Pena: Comprar ou Alugar?

Ver mais

O valor que você vai gastar temporariamente com o aluguel pode ser bem menor do que o dinheiro que vai precisar para honrar a dívida bancária de um financiamento de imóvel. Acumulando grana para uma entrada mais expressiva, vai restar um número bem mais reduzido de parcelas para quitação do seu cantinho. Ou seja, é um jeito mais barato de conseguir pagar a sua moradia!

Quer saber quanto gastaria alugando ou comprando o próprio imóvel? Dê uma olhada nesse simulador feito pelo consultor da FGV Fausto Morey.

economize para comprar seu apartamento

Corte os gastos e extermine as dívidas

Se a sua intenção é desfrutar da sua própria casa, vamos ter que cortar alguns males pela raiz. Todas as dicas que costumamos dar sobre o controle de dívidas, são simplesmente a base para a conquista de sonhos maiores.

Não dá para pensar em se comprometer a pagar por uma habitação se você estiver cheia de compromissos financeiros pendentes, correto? Se você está endividada, faça o maior esforço possível para quitar suas pendências e aí sim comece a pensar no seu imóvel.

Aquelas comprinhas extras de roupas e sapatos levados por impulso, carrinho de supermercado cheio de coisas desnecessárias e parcelamento de tudo no cartão de crédito também devem passar a fazer parte do seu passado. O negócio agora é acumular dinheiro.

Faça o dinheiro crescer

Se estamos pensando em comprar imóveis sabendo que conseguir crédito está cada vez mais difícil – e, pior, podendo até perder o emprego durante o processo –, não adianta juntar a grana embaixo do colchão, certo? Estude um bom investimento para aplicar o dinheiro que você vem juntando. Não deixe de ponderar o quanto está sendo descontado em taxa de administração e avalie bem o retorno financeiro de acordo com o andamento da nossa economia.

Manter o seu dinheiro bem aplicado pode te dar uma força enorme na hora de arcar com as despesas adicionais do seu imóvel, como escritura e imposto para transferência do bem para o seu nome. Dado divulgado pela Agência Brasil aponta que essas despesas representam entre 3% e 5% do valor total do imóvel. Sinal de que o pé de meia precisa ser reforçado!

E você, como tem se planejado para comprar seu apartamento?  

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close