Ser boazinha no trabalho é bom ou ruim?

Ser boazinha no trabalho é bom ou ruim?

Quem tem fama de boazinha entre os colegas de trabalho pode acabar lidando com uma faca de dois gumes. Por um lado, essa pessoa certamente é bem tratada pela maioria e, em função disso, tem mais facilidade para viver um clima de trabalho mais agradável. Em contrapartida, se não houver atenção para os limites dessa bondade, é possível que a boazinha acabe sendo explorada.

Antes de mais nada,  é bom salientar que não é um problema ser boazinha, desde que você saiba impor limites para a solicitude. Pessoas simpáticas, dispostas a ajudar e a colaborar para o bom desempenho do trabalho em equipe só tem pontos a somar, tanto com os próprios colegas quanto com os superiores.

Mas como saber em que situações devemos ser boazinhas? Como avaliar se estamos passando do limite? Bom, aqui valem boas doses de bom senso e espírito analítico. Se você é uma pessoa que encaixa-se no perfil de boazinha, mas por vezes sente-se explorada, vale a pena avaliar sua postura e também de seus colegas.

ser boazinha no trabalho é bom ou ruim?

O preço da bondade

Desde cedo costumamos ouvir o ensinamento de que é preciso doar sem esperar nada em troca. Essa é uma lição que realmente deve ser levada para vários aspectos da vida, mas no campo profissional a situação é um pouco mais complexa. Na verdade, no ambiente de trabalho é melhor considerar aquele ensinamento de que “uma mão lava a outra”.

Pense bem, com qual frequência seus colegas de trabalho pedem que você os auxiliem nas tarefas do cotidiano? Quantas vezes você já se dispôs a fazer hora extra para dar conta do seu serviço e de auxiliar os outros? Agora, em contrapartida, avalie a quantidade de vezes que a situação oposta aconteceu. Se você ainda não precisou do auxílio de colegas, tente avaliar quais deles estariam dispostos a te ajudar em uma situação de necessidade. Por exemplo, aquele colega que você sempre ajuda se colocaria à sua disposição para trocar horários de trabalho em caso de uma emergência ou mesmo de cobrir um dia de folga seu?

Da mesma forma que existem pessoas com espírito colaborativo, existem aquelas que vão querer tirar vantagem em qualquer situação, é com essas pessoas que você precisa ficar atenta com o “excesso de bondade”. Aos colegas que forem solícitos contigo na mesma medida em que você é com eles, mantenha a boa relação, afinal, isso acaba sendo bom para todas as partes envolvidas. Agora, se aquele colega que tem fama de pedir quando precisa, mas corre quando é solicitado, vale colocar algumas ressalvas na hora de ajudar.

Impondo limites

Fazer questão de valorizar a sua ajuda é o primeiro passo para que você não seja explorada por seus colegas. Logo após fazer um favor a alguém, vale a pena deixar algum comentário no ar, algo como “olha, está me devendo essa, hein?!”, para deixar claro que a ajuda é via de mão dupla.

Acima de tudo, jamais prejudique o seu desempenho para ajudar os companheiros. Como já dissemos, ser uma pessoa disposta a colaborar é excelente, mas sem limites você pode acabar tornando-se vítima da sua própria bondade.

 

E você, tem fama de boazinha no trabalho? Conte-nos a sua experiência profissional!

 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close