Vale a pena contratar uma assistência funeral?

Vale a pena contratar uma assistência funeral?

Perder um ente querido sempre será um grande baque. A situação se torna ainda mais pesarosa quando, somada ao luto, percebe-se que ainda terá que lidar com questões burocráticas e desembolsar um bom dinheiro para arcar com todas as despesas referentes ao funeral. Contudo, acredite: ter um bom planejamento financeiro pode tornar o momento menos difícil – e isso inclui até mesmo a contratação de uma assistência funeral.

“Quanto mais cedo se programar para isso, menor o impacto”, afirma Alcidney Sentallin, professor de Gestão Financeira da IBE-FGV e consultor de negócios. O docente explica que o planejamento financeiro parte do pressuposto de prever algo – que pode ser positivo ou negativo. Por exemplo, se você deseja comprar um carro, irá se planejar para tal. Casos de falecimento definitivamente não são desejados, mas convém se planejar, pois essa é uma situação inevitável.

Entendendo a assistência funeral

Só o fato de você poder contratar este serviço em um momento de tranquilidade já é uma grande vantagem em relação a ter que tomar decisões, cuidar de detalhes e gastar altas cifras sob grande impacto emocional. Assim, na hora em que você precisar, profissionais credenciados estarão lá para cuidar de tudo. Além disso, algumas empresas prestadoras de serviços funerais aproveitam o momento de fragilidade para estabelecerem preços abusivos sobre os produtos e serviços – justamente quando não se tem cabeça para pensar que aquilo está caro demais. É possível fugir dessa situação ao contratar uma assistência funeral.

Existem diversas modalidades de cobertura que, embora tenham nomes parecidos, têm algumas diferenças fundamentais entre si.

Auxílio funeral: trata-se de uma cobertura que garante o reembolso das despesas do funeral. Contudo, isso acontecerá apenas depois de todo o processo, quando a família deverá apresentar os recibos à entidade que concedeu o auxílio. “A diferença em relação à assistência funeral é que aqui, em caso de falecimento, existe o valor financeiro disponível para isso, mas o contratante que terá que ir atrás de tudo, o que pode ser desgastante nesse momento delicado”, aponta Sentallin. Essa modalidade é cada vez mais rara entre as seguradoras, que preferem oferecer a assistência.

Assistência funeral: é a mais difundida e aconselhada de todas. Isso porque, ao contrário do auxílio – onde os familiares devem ir atrás de tudo –, essa modalidade traz profissionais que cuidarão de tudo para o segurado, desde o traslado do corpo até detalhes do enterro ou cremação. Assim, você não precisará lidar com burocracias nesse momento de fragilidade. “Ele não dá direito ao reembolso, nem à livre escolha dos prestadores dos serviços, pois estes serão executados por empresas indicadas pela seguradora”, alerta João Carlos de Oliveira Júnior, coordenador da Comissão de Vida, Previdência e Capitalização do Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo (Sincor-SP). Costuma estar incluso em pacotes de Seguro de Vida, o que barateia seu custo. Porém, também é possível contratar separadamente junto às seguradoras.

assistencia-funeral

Plano funerário: também conhecido como seguro funeral, é comercializado por cemitérios ou empresas funerárias. Por isso, todos os serviços prestados estão vinculados somente à empresa que vendeu o plano. “Assim, se o óbito acontece fora da cidade ou do estado que a empresa se encontra, cabe à família arcar com o traslado do corpo, representando mais um gasto”, alerta Oliveira Júnior. Por isso, o especialista não recomenda essa modalidade.

Tranquilidade com baixo custo

“O custo de uma assistência funeral é muito pequeno perto do ganho emocional que a família tem com a assistência”, opina Oliveira Júnior. Ele conta que existem planos no mercado a partir de R$ 5 mensais para pessoas de 16 a 24 anos. Já a assistência funeral familiar completa custa a partir de R$ 97. Ambos os casos incluem cobertura de Seguro de Vida. “Os membros da família podem dividir o valor que cada pessoa paga, dando direito ao sepultamento de todos os dependentes”, aconselha Sentallin. Para o professor da IBE-FGV, é um dispêndio que demanda disciplina financeira, mas que pesa pouco no bolso e se torna automático depois de um tempo. “Por isso, nunca recomendei que nenhum cliente cortasse esse serviço ao fazer corte de gastos no orçamento”, completa. Em suma, a sua tranquilidade e de sua família não têm preço – melhor ainda quando ela, de fato, sai barata.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close