Vale a pena manter poupança com os juros em alta?

Vale a pena manter poupança com os juros em alta?

Que a caderneta de poupança tem grande popularidade entre os brasileiros, não é novidade para ninguém. Mas afinal, até que ponto vale a pena manter seu dinheiro nela? A decisão entre ter uma caderneta ou migrar para outro investimento vai depender muito de seu objetivo. Como bem sabemos, vivemos um momento em nossa economia em que os juros estão em um patamar elevado, em uma tentativa do governo de controlar a inflação. Na última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central), ficou definido que a taxa básica de juros do país, a Selic, sobe de 11,75% para 12,25% ao ano. Pois bem, sendo assim, se seu objetivo for aumentar a sua rentabilidade, a caderneta de poupança não é a melhor opção. Existem opções de investimentos também considerados conservadores que acompanham as variações da taxa básica de juros, ou seja, que geram um rendimento melhor. As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) pós-fixados e os Fundos DI são exemplos de investimentos que acompanham a variação dos juros do país. calculos_poupanca

O outro lado da moeda

No entanto, o que vale saber não é só a rentabilidade. Se você quer que seu dinheiro renda mais e não está preocupada com liquidez, o leque de possibilidades pode ser ainda maior, tendo em vista que alguns investimentos são voltados para o longo prazo e o dinheiro não pode ser retirado antes de um prazo mínimo estabelecido em contrato. Em outros casos, você pode até ter liquidez, mas o acesso ao dinheiro não é tão prático como no caso da poupança. Em outras palavras, a caderneta atualmente não te dará uma rentabilidade tão boa quanto outras opções de investimento conservadores, tendo em vista que permanece rendendo apenas 0,5% ao mês, além da Taxa Referencial. Para que você tenha um patamar de comparação, as novas regras estabelecem que a poupança só acompanha a variação dos juros quando eles estão fixados em 8,5% ao ano ou menos, bem abaixo do patamar atual. Em contrapartida, para algumas pessoas a caderneta pode fazer sentido se o objetivo for dar prioridade ao lado prático, em detrimento da rentabilidade. Ela pode ser um meio útil e simples de armazenar um fundo de emergência, por exemplo. Analise o seu patrimônio e faça as contas: você tem grana suficiente para cuidar de seus investimentos e garantir um fundo de emergência? Se a resposta for sim, dê prioridade àquele dinheiro que poderá ser usado para eventuais dias difíceis. A partir do momento em que você tiver a segurança de ter uma graninha separada para algum imprevisto, você pode focar em aplicar dinheiro em outro investimento, neste caso com o foco somente em sua rentabilidade.

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close