Você sabe lidar com pressão no trabalho?

Você sabe lidar com pressão no trabalho?

Toda pessoa que é dona de um empreendimento ou que alcança algum cargo em uma empresa em que tenha a responsabilidade de coordenar ou chefiar uma equipe preza por dois pontos básicos: produtividade e resultado. Mas bem como uma chefe espera um bom trabalho de seus funcionários, os mesmos também têm a expectativa de lidar com uma superiora que saiba conduzir bem a equipe, que dialogue e que seja eficiente em suas instruções.

O desafio então é encontrar um equilíbrio complicado: como ser uma boa chefe e motivar meus funcionários a chegarem onde espero? Na escala de hierarquia de uma empresa você pode sofrer pressões de diversos lados e nem sempre de maneiras proporcionais. Portanto, para evitar um efeito negativo em cadeia, vamos falar sobre como buscar o equilíbrio.

No meio do cabo de guerra

Vamos supor que você seja gerente de uma loja que pertence a uma grande rede. Ao fim de cada mês, a diretora regional da rede visita cada loja para saber como foram as vendas. Ou seja, você sabe que pelo menos uma vez por mês será cobrada pelo trabalho desempenhado pelos funcionários da sua equipe. Quando os números não são bons, você sabe que a cobrança será repassada para você primeiramente, tendo em vista que você é a pessoa que responde por aquela loja.

Obviamente, o mês seguinte precisa vir com números melhores. E agora, como identificar o que está acontecendo? Por que as vendas esfriaram? Quais as lacunas que a sua equipe ainda precisa preencher? Para identificar e sanar os problemas não vai adiantar descontar toda a pressão em cima dos funcionários de qualquer maneira.

Nessa hora que é necessário ter muita sabedoria para fazer as cobranças. Lidar com a pressão pode ter efeitos diversos, basta saber como administra-la.

trabalhar_pressionada

Como trabalhar com pressão?

Ter jogo de cintura para lidar com pressão pode trazer resultados muito positivos, ao passo que o mau uso dessa estratégia pode ser desastroso. A verdade é que em muitos casos as pessoas realmente não sabem como dosar a pressão na hora de fazer exigências.

Na hora de cobrar seus funcionários, é preciso que você tenha em mente que aquela pressão deve ser como motivação, de elemento impulsor para que a pessoa corrija uma conduta inadequada. Por exemplo, se você percebe que tem um vendedor na equipe que não tem esforçado-se o suficiente para atender os clientes,  está preguiçoso nas abordagens ou pouco gentil com as pessoas, qual a conduta você adota para que ele melhore o desempenho?

Você pode chama-lo para conversar e lembra-lo de como era o desempenho dele anteriormente, as características que chamaram sua atenção no momento em que o contratou, dizer que sente que ele tem usado muito pouco do potencial que possui e questiona-lo se aquele é realmente o emprego no qual ele deseja estar. Se o funcionário estiver prezando pela vaga, ele certamente vai entender isso como um alerta e rever a conduta no ambiente de trabalho. É bem possível que a partir daí você note um desempenho melhor da parte dele.

Por outro lado, se sua postura for de critica-lo de tal forma que ele não encontre meios de sentir-se seguro, o resultado pode ser exatamente o oposto. Fazer comparações com outros colegas, conduzir a conversa em um tom pessimista, colocar o funcionário para baixo em função de sua insatisfação com o trabalho dele, todas essas abordagens não farão bem para ninguém. Se a pessoa não estiver realmente satisfeita com o emprego, é melhor dispensa-la, mas se a intenção de ambas as partes for a permanência, não será dessa forma que o funcionário vai encontrar meios de motivar-se.

Percebe a diferença nas duas situações? No primeiro caso, a pressão serve como estímulo, enquanto no segundo ela só puxa para baixo. Este é um problema recorrente em diversos tipos de ambientes profissionais e acaba gerando um ciclo vicioso de estresse, pouca satisfação, baixa produtividade e resultados ruins. Trabalhar melhor as palavras e identificar posturas altruístas em momentos delicados podem ser saídas muito mais inteligentes e eficientes para todo mundo!

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close