4 cuidados básicos na hora de investir

4 cuidados básicos na hora de investir

Quando você decide investir seu dinheiro, como você pesquisa os ativos que são de seu interesse? Tomar a decisão de investir é sem dúvida alguma uma grande tacada, afinal de contas não é viável passar a vida apostando nos retornos da aposentadoria pelo INSS.

É preciso, no entanto, observar como essas aplicações serão escolhidas, para que você não caia na cilada de assumir os riscos de um investimento que exija altas taxas de administração ou mesmo de apostar em investimentos que não condizem com seu perfil.

Pesquisa

Tenha uma certeza, a principal responsável por pesquisar os ativos para investir deve ser você! Muita gente acaba esquivando-se desta tarefa por falta de conhecimento, mas este é o caminho mais fácil para cair em armadilhas. Se você confia cegamente no seu gerente de banco, por exemplo, vai acabar optando pelo produto que é financeiramente mais interessante para ele, que é vendedor.

Isso implica em fazer vistas grossas ao quanto às taxas impostas pelo banco vão comer dos seus rendimentos. Belo exemplo disso são os famosos títulos de capitalização, muitas vezes erroneamente divulgados como investimentos.

Se você não sente-se segura para definir um investimento por conta própria, procure auxílio de um especialista isento de interesses financeiros, como o caso que acabamos de citar.

Metas

O primeiro fator para nortear sua pesquisa é a sua meta de investimento. Antes de fazer sua escolha, faça um planejamento de quanto tempo você pretende manter o dinheiro aplicado, isso já será suficiente para eliminar as opções que não atendem a seus objetivos. Por exemplo, quem pretende ter retorno a curto prazo e não tem larga experiência no mercado financeiro, deve evitar investir na Bolsa de Valores, que é indicada para as investidoras que desejam retorno a longo prazo.

Quantia investida

Assim como as metas, a quantidade de dinheiro que você pretende investir também vão influenciar suas escolhas. Isso porque algumas opções de mercado tendem a reduzir a rentabilidade da investidora se a quantia aplicada for pouco expressiva. Os Fundos DI, por exemplo, são interessantes em momentos em que a taxa básica de juros está alta, como acontece atualmente. No entanto, as aplicações são feitas em títulos variados e as taxas de administração podem tornar o investimento pouco interessante para quem tem pouco capital.

Descuido com os investimentos

A regra é simples: quanto maior o risco, maior o cuidado. Se você está disposta a investir seu dinheiro, é bom preocupar-se em ficar atenta a todas as oscilações de mercado. Deixar uma carteira de investimentos sem a devida observação pode acabar te levando a manter dinheiro por tempo demais em um ativo desfavorável. Funciona mesmo como um jogo, a conjuntura econômica vai ditando as regras e você vai mexendo as peças.

 

E você, como cuida das suas aplicações? 

 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close