As redes sociais podem me prejudicar profissionalmente?

As redes sociais podem me prejudicar profissionalmente?

Seu relógio não despertou na hora certa, bateram na traseira do seu carro a caminho do trabalho, seu dia rendeu super mal no trabalho e, para finalizar, você acaba discutindo com alguém por um serviço mal prestado. Todas as características de um dia “nebuloso”, não é mesmo? Bem típico dos piores infernos astrais.

Diante de tanta insatisfação, você acaba fazendo um desabafo exagerado em suas redes sociais. Aproveita o espaço para “soltar os cachorros”! A situação lhe parece familiar? Bom, com a vida tão conectada às redes praticamente 24 horas, nossos perfis virtuais ganham um dinamismo curioso. O mesmo espaço que usamos para compartilhar as tão faladas fotos “selfies”, pratos de comida e lugares badalados que visitamos, serve também como palanque para posicionamentos diante de assuntos polêmicos e como “cantinho do desabafo”.

Reações online de alegria, satisfação, vaidade e até mesmo revolta parecem ser cada vez mais naturais. Bom, e a partir do momento em que adotamos uma conduta como um comportamento natural, há uma certa tendência a fazer as coisas meio no “modo automático”. Você posta frases, fotos, trechos de poemas e letras de música instantaneamente, sem pensar demais a respeito do conteúdo.

E você deve estar se perguntando sobre o motivo dessa reflexão sobre o uso das redes sociais. Pois bem, diante de tudo que acabamos de falar, você tem o hábito de avaliar os efeitos em sua vida das coisas que você posta ou compartilha na internet? Já aconteceu de acabar escrevendo mais coisas do que deveria em um momento de raiva?

Se isso já tiver acontecido você pode até ter o pensamento de que nada do que tenha postado possa lhe prejudicar. Bom, as coisas podem não ser bem por ai…

as redes sociais podem prejudicar minha carreira?

O caso Avianca

Um caso recente que ganhou enorme repercussão acabou nos inspirando a escrever este post. Uma situação bem polêmica, mas que serve como alerta. Segundo divulgado pelo blog Senhores Passageiros, da Folha de São Paulo, um piloto da companhia aérea Avianca foi demitido em razão de um comentário preconceituoso que havia feito sobre o povo nordestino em seu perfil no Facebook.

Dias antes da demissão, o mesmo blog havia noticiado a declaração dada pelo piloto. O ex-funcionário reclamou de forma bem rude sobre o atendimento que teria recebido em um restaurante em João Pessoa, na Paraíba. Chegou inclusive a usar o termo “porco” para referir-se ao povo. A forma grosseira e generalista como narrou o descontentamento gerou uma repercussão negativa imediata.

O efeito da declaração também foi imediato. O episódio relacionado à vida pessoal do piloto acabou respingando de forma ruim para a empresa, que foi cobrada a posicionar-se sobre a situação. Sendo assim, veio logo a demissão. O ex-funcionário chegou a fazer uma nova publicação, pedindo desculpas pelos termos que usou e tentou justificar a irritação durante o episódio. Mas a perda do emprego foi inevitável.

Cautela

Deixar de fazer parte das redes sociais por medo das repercussões sobre o que você posta ou comenta não é saída. Afinal, em um mundo cada vez mais tecnológico, viver desconectado é caminhar atrás dos outros.

O importante é que este tipo de situação traga para você uma reflexão. Não se trata de julgar ou defender a atitude que o piloto teve, mas o caso certamente serve de exemplo. Quando ele resolveu publicar a reclamação sobre o povo nordestino, certamente não imaginava que isso poderia afetar o emprego.

Neste mundo conectado, as redes sociais não podem tornar-se “terra sem lei”. O mesmo espaço que você usa para conversar com amigos, é o que seu chefe usa para te observar. As palavras realmente têm poder, principalmente depois de compartilhadas na internet…

 

 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close