Atenção, mamães: a mensalidade escolar vai subir em SP

Atenção, mamães: a mensalidade escolar vai subir em SP

Mamães que moram no estado de São Paulo: preparem o bolso porque a mensalidade escolar vai aumentar no ano que vem! De acordo com informações do Estadão, o aumento deve ficar acima da inflação e em algumas escolas pode ficar próximo a 10% de reajuste, sendo que as escolas tem até o dia 10 de dezembro para definirem os percentuais de reajuste.

Conforme consta na matéria, o sindicato das escolas particulares de São Paulo justifica o aumento em função de reajustes salariais concedidos a professores e à previsão de aumento nos preços de combustíveis e energia elétrica no próximo ano, que consequentemente irão pressionar a inflação.

Bom, se o aumento é inevitável, é importante que saibamos exatamente quais são os nossos direitos, para evitar que as escolas façam exigências ou cobranças indevidas. Para quem não sabe, o Procon-SP elaborou uma cartilha informando algumas regras em relação à matrícula. Vale a pena conferir:

Anuidade

As escolas tem permissão para cobrar anuidade, mas o contrato da matrícula deve informar o valor total. Além disso, não é permitido fazer nenhum reajuste antes de encerrar o período de um ano. As escolas também não podem taxar a emissão de boletos ou carnês, considerada pelo Procon como prática abusiva.

Reserva

A escola podem cobrar para reservar vagas ou matrículas, mas o valor cobrado deve ser descontado da primeira mensalidade ou do valor da matrícula. Além disso, o preço da matrícula não pode exceder o contrato anual, ou seja, o valor cobrado não pode ser cobrado além da anuidade já estabelecida em contrato.

preco_mensalidade_escolar

Reajustes

Os reajustes devem acompanhar proporcionalmente a variação com o custo de mão-de-obra (professores e demais funcionários) e o custeio da escola. No entanto, os gastos com reformas ou ampliação de salas não podem ser repassados aos alunos.

Desconto

O decreto-lei 3.200 determina que haja desconto para famílias com mais de um filho matriculado, porém a regra só vale para o ensino médio. Sendo assim, o segundo filho teria desconto de 20% na mensalidade, o terceiro 40% e o quarto e os demais 60%. O decreto-lei é de 1941 e nunca foi revogado, porém alguns tribunais já chegaram a optar por não aplica-lo.

Inadimplência

As escolas podem usar os meios legais para cobrar os responsáveis por alunos inadimplentes, mas estes não podem ser impedidos de assistir aulas ou participar de atividades da escola.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close