Avalie se vale a pena vender as férias para ganhar dinheiro extra

Avalie se vale a pena vender as férias para ganhar dinheiro extra

Todos os anos, aguardamos as férias ansiosamente. É aquele período especial no qual podemos ter bastante tempo para nós e nossas famílias, relaxar e recarregar as baterias. No entanto, muita gente considera abrir mão de parte das férias para juntar um dinheiro extra ou quitar dívidas, já que a legislação trabalhista permite a venda de até um terço deste período. Será que isso vale a pena?

“Vender (parte das) férias sempre é a pior situação, mesmo que a profissional precise do dinheiro. O estresse e a pressão nas empresas são tão grandes que a profissional precisa das férias, principalmente em período de crise, com equipes reduzidas e mais afazeres. Alguns acham que estão fazendo um grande negócio ao vender as férias, mas o trabalho não vai render tanto porque não tiveram descanso”, afirmou Sergio Miorin, professor de Gestão de Pessoas da IBE-FGV e diretor-geral da SM Consultoria, Treinamentos e Palestras.

Você também pode gostar:
Erros de gestão fazem empresas perderem grandes talentos
Os cuidados com o orçamento em tempos de crise
5 TEDs para entender como você se comporta com dinheiro

De acordo com ele, os benefícios das férias surgem antes mesmo do início delas, devido à preparação para o período. Para quem viaja, há o planejamento, a sensação do novo, a expectativa de estar em contato com novas culturas, de ter novos conhecimentos e experiências. Segundo Miorin, essa bagagem pode, inclusive, se refletir no trabalho da funcionária no retorno das férias.

De acordo com ele, as férias são essenciais para sair da rotina e se revitalizar. Seus benefícios incluem descanso, relaxamento, não ter horário para nada, entre outras coisas. “Até o sono é mais tranquilo. As pessoas ficam mais felizes durante e depois do período de férias. Quando o profissional volta, a produtividade é infinitamente maior”, afirmou.

Miorin recomenda desvínculo total das atividades da empresa enquanto a profissional estiver de férias. Segundo ele, se a pessoa tiver um cargo de alto escalão e for extremamente necessário ter contato com a empresa durante as férias, a funcionária deve determinar um horário fixo todo dia, que ficará reservado para tratar dos assuntos de trabalho. Assim, poderá ficar livre no restante do dia.

foto vender férias

Continue a ler a matéria na próxima página!

Entre os prejuízos de vender parte das férias, Miorin cita o nervosismo e as variações de humor pela falta de descanso. Mas e a parte financeira? E se o dinheiro da venda for extremamente necessário?

Segundo Eliza Lippe, professora de Gestão Financeira da IBE-FGV, a venda deve ser considerada quando se está endividada. “É fundamental que você considere a venda (de parte) das férias nesse caso, quando você quer quitar uma dívida”.

De acordo com ela, se você não tiver dívidas, pode aproveitar o dinheiro para fazer um tratamento médico do qual esteja precisando ou fazer um investimento. Segundo Eliza, quando se tem filhos, eles demandam despesas e gastos relativamente altos em todas as fases da vida e isso também pode ser levado em consideração na hora de decidir vender ou não parte das férias.

No entanto, ela concorda com Miorin ao afirmar que uma das maiores desvantagens é a falta de descanso. “Quando o trabalho tem uma rotina muito pesada, é necessário que a trabalhadora descanse. Sejam 30 dias, sejam 20 dias, mas ela precisa descansar, ter um tempo para si durante o ano. Quando opta pela venda, ela acaba não tendo esse descanso físico. A produtividade cai, o rendimento cai. Ela acaba não recarregando as baterias”, afirmou.

Então, antes de vender parte das suas férias, coloque tudo isso na balança para avaliar se o retorno financeiro realmente é válido. Se não estiver endividada, vale a pena desfrutar do descanso plenamente, renovar a mente e as ideias, descansar o corpo, aproveitar o contato com a família e cuidar de si. E se for viajar, aproveite as novas experiências que trará na bagagem. Quando retornar, você terá mais a somar  e estará cheia de energia.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close