Cartões de loja são os maiores culpados pela inadimplência, diz estudo

Cartões de loja são os maiores culpados pela inadimplência, diz estudo

Já falamos diversas vezes sobre os perigos dos cartões de loja. Porém, há um mais um motivo para tomar cuidado: eles são os maiores responsáveis por levar uma pessoa à inadimplência, segundo levantamento realizado em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Para que se tenha ideia, em cada 10 inadimplentes que possuem cartões de loja, oito (80%) ficaram com o nome sujo porque atrasaram essa conta. Isso representa um aumento de 7% em relação ao ano passado, quando o percentual era de 73%.

Para chegar a esses dados, foram ouvidas 600 pessoas que estão com as contas atrasadas há pelo menos 90 dias – homens e mulheres acima de 18 anos e de todas as classes sociais nas 27 capitais do país.

“Os bancos diminuíram o acesso ao crédito, então, os cartões de loja ganharam espaço”, diz Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil. Geralmente, quem encabeça a lista é o cartão de crédito, mas pode-se dizer que os cartões de loja são “primos próximos”. “Eles são muito parecidos, principalmente quando falamos de taxas de juros. Por isso, não estamos falando de uma mudança de comportamento, afinal, eles trazem consequências igualmente devastadoras quando são usados de forma errada”, afirma.

Porém, Marcela conta que há um agravante: cartões de loja são oferecidos em um momento em que você já está propensa a consumir, afinal, já está dentro da loja e rodeada por itens de desejo.

Em segundo lugar estão os empréstimos em bancos ou financeiras, que levaram 65% dos entrevistados que tomaram esse tipo de crédito a entrarem na lista de inadimplentes, por conta de atrasos no pagamento. A seguir, confira o ranking completo:

Vilões da inadimplência

1º cartões de loja (80%)
2º empréstimos em bancos ou financeiras (65%)
3º cartão de crédito (65%)
4º cheque especial (64%)
5º crediário (60%)
6º cheque pré-datado (51%)
7º financiamento de automóvel ou moto (50%)
8º crédito consignado (38%)
9º financiamento da casa própria (27%)
10º mensalidades escolares (24%)

Além dos 10 primeiros colocados, alguns casos de inadimplência também chamaram a atenção dos pesquisadores. Um percentual considerável de entrevistados acabou com o nome sujo por atrasar contas de serviços básicos. Por exemplo, entre os entrevistados que possuem telefone fixo ou celular, 18% afirmaram ter ficado inadimplentes por não terem pagado essas contas – ano passado, eram 15%.

inadimplencia-cartoes-de-loja

Mais contas para pagar

Apesar de a recuperação econômica do País acontecer lentamente, a pesquisa mostrou que os inadimplentes brasileiros estão assumindo mais compromissos financeiros, estejam eles em dia ou não.

O destaque fica para as compras feitas no carnê ou crediário, cujo percentual de entrevistados que possuem esses compromissos passou de 11% a 21%. Já o cartão de crédito apresentou crescimento de 40% a 48% de menções, enquanto as contas de telefonia alcançaram 53% – um crescimento de 11 pontos percentuais em relação ao ano passado. As contas de TV por assinatura e internet passaram de 33% para 44%.

Marcela conta que, com menos medo de perder o emprego, as pessoas estão considerando comprar itens que desejavam, mas seguraram a aquisição por cautela – caso de bens que podem ser comprados por crediário, como geladeiras e micro-ondas, por exemplo, o que explicaria o aumento na modalidade. “Temos visto o brasileiro voltar a consumir e ir atrás do crédito por confiar mais na economia. Isso é bom, mas o lado ruim é que as pessoas estão voltando a consumir da forma incorreta”, alerta.

De acordo com o levantamento, a única dívida bancária que teve menor incidência entre os inadimplentes em relação ao ano passado foram os empréstimos em bancos ou financeiras, que passaram de 27% em 2016 para 25% neste ano.

Apesar da prometida retomada econômica, a economista-chefe alerta: é preciso maneirar no otimismo. “É muito bom respirar aliviada, mas ainda estamos em um patamar ruim. A economia continua fraca, o crescimento é lento e a saída da crise acontecerá em passos de tartaruga, então, nada de sair comprando, especialmente se você já for inadimplente”, avisa.

Contas em dia

Por outro lado, as chamadas dívidas não bancárias ganham a preferência entre as contas pagas: nove em cada dez inadimplentes estão com planos de saúde em dia (93%). Outras contas que são prioridade na fila de pagamento são do condomínio – que está em dia para 89% e 84% para quem tem aluguel para quitar –, TV por assinatura e internet (83%) e contas de água e luz (80%).

Segundo Marcela, essa priorização acontece graças ao medo de ter esses serviços cortados. “Devemos priorizar tanto essas contas que, se não forem pagas, resultam no corte do serviço, quanto aquelas com taxas de juros mais altas. Quem não paga condomínio, por exemplo, pode até perder o lugar que mora”, finaliza.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Ana Paula de Araujo

Ana Paula de Araujo

Repórter, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

close