Como ensinar os adolescentes a lidar com dinheiro?

Como ensinar os adolescentes a lidar com dinheiro?

Filhos adolescentes costumam deixar as mães em estado de alerta constantemente. Lidar com essas transformações requer muita paciência, afinal ninguém quer que os filhos se machuquem com o mundo ai fora. E como também já passamos por essa fase, sabemos como as coisas são complexas nesse momento de transição. Os primeiros namoros, decepções, confusões mentais, o espírito as vezes meio rebelde…

E se seus filhos estão passando por esta etapa agora, você já parou para pensar que daqui a pouco serão independentes e que vão precisar ser maduros o suficiente para cuidar sozinhos da vida financeira? Sim, pensar que os filhos são criados para o mundo, no fundo, dói no coração de qualquer mãe. A vontade é de poder cuidar deles bem de perto a vida inteira. Mas dar o preparo para que eles possam buscar a independência é a maior demonstração de amor que você pode dar.

Então, se seus filhos estão naquela fase ainda acomodada de não ter a preocupação de pensar em dinheiro (mas recorrem a você sempre que querem comprar algo novo ou ir a uma festa), este é o momento de criar algumas regras para que eles possam dar o real valor ao dinheiro.

Metas para a mesada

A mesada pode ser uma boa ferramenta para que o jovem tenha o controle das despesas, desde que sejam colocadas algumas condições. A primeira delas é não ceder aos pedidos de “adiantamento” quando o dinheiro não for o suficiente para suprir as necessidades do filho. Caso contrário seu filho pode acabar ficando mal acostumado e adotando o mau hábito de “vencer pelo cansaço” toda vez que insistir para ganhar um dinheiro extra.

Outra boa dica é estabelecer uma série de gastos fixos que vão ficar por conta da mesada dele, para que o dinheiro não seja usado somente com o lazer. Itens de higiene pessoal, reposição de material escolar  e livros extras, meias, roupas íntimas, entre outros pequenos gastos podem fazer parte das responsabilidades da mesada.

como dar educação financeira a adolescentes

Trabalho

Incentive seu filho a procurar um emprego de meio turno como aprendiz. Se você ou sua família tiverem um empreendimento, tente engajá-lo como funcionário aprendiz. Dessa forma, além de ter a responsabilidade de administrar o tempo entre o trabalho e os estudos, ele com certeza dará valor ao dinheiro que vai ganhar. E provavelmente vai gastá-lo com mais responsabilidade.

Despesas de casa

Caso seu filho concorde com a ideia de trabalhar em meio turno, deixe que ele participe de alguma forma do custeio das despesas domésticas. A contribuição será proporcional ao que ele receber, mas converse com ele para estipular um percentual dos ganhos para os gastos em casa. Ele pode contribuir ajudando com as compras de supermercado ou pagando a conta de TV a cabo, por exemplo. É uma forma de preparar seu filho para quando ele tiver a própria casa ou passar pela experiência de morar em uma república.

Preocupação com o futuro

Ainda que a maior parte da mesada seja usada para custear despesas, fale sempre para seu filho da necessidade de poupar parte daquela grana. Como ele ainda está começando, o ideal é que abra uma caderneta de poupança. Conversem sobre planos de longo prazo para que ele sinta-se estimulado a acumular o dinheiro.

Seguir todos os passos pode até não parecer fácil, mas é uma excelente maneira de formar pilares firmes para o futuro adulto! Adquirindo maturidade para lidar com dinheiro desde já, ele ficará menos exposto a passar apertos por questões de descontrole com os gastos!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close