Como ganhar mais dinheiro mesmo sem atividade extra

Como ganhar mais dinheiro mesmo sem atividade extra

Pense nos momentos da vida em que você olhou para tudo ao seu redor e ficou imaginando: “o que posso fazer para ganhar mais dinheiro?”. Bom, claro que é possível pensar em muitas formas de ganhar dinheiro extra, mas o nosso ponto hoje será outro. Afinal, quando dinheiro a gente acaba “perdendo” sem nem perceber? Não seria esse dinheiro desperdiçado que tanto faz falta ao fim do mês?

Pois bem, uma boa alternativa para ter uma dimensão do quanto gastamos sem notar em nosso cotidiano é mudar a nossa perspectiva. Pense bem, o que você faz hoje com uma nota de dez reais em mãos? Você pode achar que esse dinheiro “não dá para nada”, mas é justamente ai que reside o erro. Sabemos que não estamos falando de uma fortuna, mas esses dez reais são parte da construção de um patrimônio que você pode começar a construir.

Então vamos lá, mudemos as nossas perspectivas. Volte alguns anos em seu passado e tente recordar-se de seus tempos de infância. Naquela época, o que você fazia para ter sua graninha? Dez reais podem parecer desvalorizados nas mãos de um adulto, mas brilham quando chegam em mãos de crianças. Nos tempos coloridos da infância havia quem fizesse sacolés em casa para vender na porta da escola, outras crianças ajudavam os pais a cuidar do jardim e cortar a grama do quintal para garantir um dinheirinho, tinha também quem ficasse sempre de olho nas moedas que vinham de troco na compra do pãozinho. Enfim, como podem perceber, podia ser trabalhoso ou demorado conseguir juntar dez reais.

dez_reais_para_criancas

Naqueles tempos, o dinheiro poderia ser usado para comprar muitas guloseimas, talvez figurinhas para completar um álbum ou mesmo um baralho de super trunfo para brincar com os amigos. Aos olhos de uma criança, todas as opções surgem como uma preciosidade. A questão é que à medida que crescemos, as coisas pequenas vão perdendo o brilho e, por consequência, os dez reais em nossas mãos perdem o valor. Escapam entre um cafezinho com pão de queijo aqui, um maço de cigarros e uma lata de refrigerante ali, enfim, em qualquer ida a uma padaria, os dez reais ficam por lá.

Dando valor ao dinheiro

Seu objetivo é voltar a enxergar os dez reais com os mesmos olhos que tinha aos doze anos de idade? Então o foco aqui é redescobrir o que esse dinheiro pode representar para você. Ao contrário do que acontecia naquela época, em que o dinheiro parecia tão bom porque poderia comprar pequenas coisas, agora a meta é justamente não sair gastando com o que não é necessário.

Esse dinheiro some das suas mãos para pagar uma tarifa no banco por um serviço que você talvez nem se lembre de ter contratado, com os juros de contas atrasadas, com o combustível a mais que você coloca no carro para fazer trajetos curtos e que poderiam ser feitos de outra maneira. Os dez reais que usou para comprar aquele pacote de frutas que ficou esquecido dentro da geladeira são outro exemplo clássico de dinheiro desperdiçado.

A gente não se dá conta no cotidiano, mas assim como a água – que está cada vez mais escassa – o nosso dinheiro escorre pelo ralo sem a gente ver. E ve-lo voltar para o bolso é um caminho mais complicado! Daqui em diante, observe sua rotina com um olhar mais criterioso. Veja nos mínimos detalhes o que pode ser cortado em suas despesas e proponha a si mesma o desafio de guardar dez reais por dia. Ao fim do mês, isso representa R$ 300, uma boa economia para pensar em planos maiores, não é mesmo? Em um ano, são R$ 3.600, dinheiro que pode muito bem crescer ainda mais se for usado para fazer um investimento.

 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close