Como manter a motivação em um emprego de que você não gosta

Como manter a motivação em um emprego de que você não gosta

É comum escutarmos, por toda parte, pessoas reclamando do emprego. Seja entre amigos, familiares ou até em conversas aleatórias que escutamos na rua. Para algumas, o problema é o chefe, para outras, o salário ou o ambiente de trabalho. Mas e se esse problema for com você? Como manter a motivação em um emprego que não a deixa feliz?

“Deve existir prazer no que se faz. Tentar encontrar um prazer, buscar um planejamento e pensar no objetivo futuro. Pensar que é uma fase”, afirmou Neiva Maróstica, professora da IBE-FGV, coaching e especialista em gestão de pessoas.

Se você tem um emprego do qual não gosta, tenha em mente que esta é uma situação temporária. Invista em si mesma e mantenha o foco em seus objetivos. Arregace as mangas, trace um plano profissional. Acredite que as coisas podem melhorar.

“Busque o autoconhecimento e estude mais, assim terá mais opções. Busque mais conhecimento, não apenas relacionado à vida profissional. É importante ter hobbies, atividades que te façam bem, fazer um coaching”, disse Neiva.

Quando estamos estressadas e infelizes em nossos empregos, geralmente encontramos dificuldade em impedir que este descontentamento se transfira para a vida pessoal. Porém, é possível aumentar a própria tolerância. Para isso, busque um melhoramento contínuo. De acordo com Neiva, é importante acreditar que você pode mais, que vai crescer, assim é mais fácil crer que o amanhã sempre será melhor.

A crise econômica no Brasil pode até diminuir a oferta de vagas, mas não se acomode, vá atrás de seus objetivos. “Mesmo no momento de crise, bons profissionais não estão perdidos”, afirmou a especialista.

foto motivação emprego não gosta
Se você quer muito mudar de emprego, mas está tendo dificuldade em conseguir uma nova oportunidade profissional, analise seu currículo, veja se está bem informada. “Tenha coragem para pesquisar, procurar. Se atualize, corra atrás. Seja ousada”, disse ela.

No trabalho, enfrentamos desafios frequentemente. Eles são inúmeros e podem estar associados à forma como lidamos com nossas emoções, podem ser referentes às atividades em si ou mesmo ao modo como nos relacionamos com os colegas de trabalho. Pode ser que você tenha, por exemplo, o “fardo” de trabalhar diretamente com um chefe ou colega de trabalho grosso e mal educado. O que fazer nesse caso?

“Se não tiver opção, se você for obrigado a conviver (com alguém assim), tente ter calma e evitar a zona de conflito. Procure evitar essa pessoa e seja profissional”, afirmou Neiva. E, claro, fique atenta a outras oportunidades profissionais.

Algumas empresas contam com sistemas de avaliação de funcionários. Se este for o caso da sua empresa, você pode tentar reportar o problema para um superior. “Um funcionário arrogante pode atrapalhar o desempenho de uma equipe inteira. Uma pessoa assim provavelmente não é feliz consigo mesma”, acrescentou.

Se você foi “sorteada” para trabalhar com um chefe ou colega de trabalho grosso ou agressivo, pense que esta é uma situação que não vai durar para sempre. Mas não se acomode. Mantenha o foco em seus objetivos e seja perseverante. Da mesma forma que você foi “sorteada” para conviver com alguém assim, pode ser presenteada futuramente com um emprego que esteja realmente à sua altura. Por isso, invista sempre em si mesma e sonhe alto!

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close