Como se livrar das indesejáveis perguntas sobre sua vida amorosa e familiar

Como se livrar das indesejáveis perguntas sobre sua vida amorosa e familiar

Viver cercada de clichês é uma realidade que infelizmente aturamos desde sempre. Acha que não? Então tire uns minutos para tentar contar nos dedos a quantidade de vezes que já ouviu perguntas como: “E os namorados?”, “E esse casamento, sai ou não sai?”, “Vocês já sabem quando vai vir o primeiro filho?” e por ai vai…

Se para algumas mulheres esse tipo de questionamento é visto de forma natural, para muitas outras pode representar um desconforto muito grande. Afinal, se analisarmos friamente, todo esse bombardeio constante sobre a vida amorosa e familiar é bem invasivo. Aquelas brincadeiras de mau gosto, dizendo que fulana ou beltrana vão “ficar para titia” acabam por gerar um sentimento de culpa e frustração na mulher que, por opção, não priorizou um casamento em sua vida. Ou não sentiu vontade de ter filhos.

Você também pode gostar:
Quem deve pagar a conta do restaurante?
Jovens reconhecem machismo, mas reforçam comportamentos sexistas
Generosidade feminina atrapalha na formação de aposentadoria

A verdade é que, infelizmente, ainda é preciso ter coragem e muita perseverança para defender nossas próprias escolhas, se caso elas forem contrárias às vontades e expectativas da maioria. Alguns questionamentos poderiam ser substituídos em nosso cotidiano, em diversas etapas da vida. No fim das contas, você não deve satisfações a ninguém, mas já que as pessoas querem se interessar por sua vida, que tal dar uma variada nas dúvidas mais frequentes?

1) Em vez de querer saber quando você vai aparecer com um namorado em casa, que tal perguntar sobre o que você imagina a respeito da futura carreira?

2) Que história é essa de querer saber se seu marido ganha bem? Seria melhor tentar entender como você tornou-se uma mulher independente.

3) Se o tal casamento sai ou não sai, não é da conta de ninguém…mas a quem estiver interessado, seu emprego vai bem, inclusive rolou uma promoção recentemente.

4) Você ainda não criou um evento no facebook para avisar aos curiosos a data certa em que o seu primeiro filho vai chegar. Enquanto esperam, conte a eles que você não está com intenção de abandonar sua profissão porque resolveu ser mãe.

5) A essas pessoas que insistem em te perguntar se você não se sente mal deixando os filhos em casa enquanto sai para trabalhar: parem, apenas parem.

6) Aliás, na hora de fazer perguntas desnecessárias, pouca gente se lembra que não precisar abrir mão da carreira em função da maternidade também serve de exemplo para as novas gerações.

Desapegue-se dos clichês e esqueça as cobranças dos outros sobre como você deve conduzir sua própria vida. Da próxima vez que te fizerem uma pergunta indesejada, encaminhe o link deste post e seja feliz.

Fonte dos gifs: Giphy

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close