Empréstimo com familiares é uma boa solução?

Empréstimo com familiares é uma boa solução?

Sua conta bancária nunca esteve tão no vermelho, você estuda a tomada de um empréstimo pessoal, mas tem medo de não conseguir arcar com os juros. Então vem aquela ideia que por um lado pode ser bem constrangedora, mas por outro aparece como a solução mais barata: tomar um empréstimo com um parente.

Tomar uma decisão como essa não é nada fácil para os dois lados da conversa. Quem está devendo precisa jogar limpo, explicar a situação e ter muita humildade para pedir ajuda. O parente em questão pode ficar dividido entre a vontade de ajudar uma pessoa querida e o receio de que o compromisso não seja honrado. Quando isso acontece, as consequências podem ser desastrosas. Imbróglios envolvendo questões financeiras podem comprometer o relacionamento familiar de um jeito irremediável. O grande problema nessa situação é que essa rusga será sempre lembrada de um jeito ou de outro, seja em uma ocasião em que toda a família estiver reunida, ou mesmo por fofocas.

Em todo caso, este é o tipo de situação que todo mundo quer evitar. Se você está determinada a pedir ajuda a uma pessoa próxima, tenha em mente que será preciso ter transparência e franqueza dos dois lados.

A planejadora financeira Lycelis Marques alerta para alguns pontos que devem obrigatoriamente fazer parte dessa conversa. “É preciso entender a necessidade do dinheiro. É uma dívida de curto prazo? A pessoa que precisa do dinheiro passou por um sufoco momentâneo ou há o risco de que o pedido de empréstimo seja recorrente? Ela consegue organizar-se com rapidez para pagar o que deve? Como esse dinheiro será usado?”, alerta.

Conforme ela orienta, desta maneira a pessoa que precisa tomar a decisão de emprestar ou não o dinheiro pode avaliar com mais precisão as circunstâncias do problema. Além disso, ela alerta a necessidade de quem empresta demonstrar a importância daquele dinheiro. “É preciso que ela deixe claro que está abrindo mão de planos para ceder aquela quantia, seja algo que pretendia comprar, uma viagem que faria”, completa.

emprestar dinheiro a parentes

Descontrole financeiro

Se o pedido de empréstimo vier em função de uma dívida que poderia ter sido evitada, o mais importante é que a pessoa necessitada reconheça a importância, antes de mais nada, de buscar uma reeducação financeira.

“Se a pessoa concordar em emprestar o dinheiro nessas circunstâncias, o mais importante é que ela coloque-se disponível para ajudar quem deve a repensar a vida financeira e refazer os planos. O combinado não sai caro, dá para emprestar o dinheiro pela primeira vez diante de algumas condições e deixar claro que não vai ter uma segunda vez”, explica.

Neste caso, a ajuda mais eficiente é estar ao lado da pessoa para pensar em novos planos, para remontar o orçamento financeiro, ajudar a identificar despesas que podem ser cortadas do cotidiano e novos rumos profissionais para aumentar a renda.

Vale lembrar que um levantamento recente feito pela Boa Vista, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), apontou que a dívida em nome de terceiros é o terceiro principal motivo de endividamento das pessoas que estão com o nome em situação irregular.

Segundo o diretor de sustentabilidade da instituição, Fernando Cosenza, essas são justamente as dívidas feitas para ajudar uma pessoa em necessidade. “É muito comum acontecer com aposentados que pegam empréstimos consignados para ajudar um filho ou um neto. É importante que as pessoas saibam que elas podem sim ajudar os parentes, mas somente com aquilo que realmente têm em mãos para oferecer”, alerta.

Se você está diante deste dilema, procure ajudar com os meios que você dispõe e analise bem o contexto de quem está precisando do dinheiro. Caso contrário, você corre o risco de ficar tão endividada quanto quem precisa da sua ajuda!

 

 

 

 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close