Gravidez: dicas de finanças para quem planeja ter um filho

Gravidez: dicas de finanças para quem planeja ter um filho

Quando o assunto é gravidez, é difícil ter realmente certeza de que aquela é a hora certa. Mas, pensando nas finanças, é possível sim se planejar para tornar esse caminho mais tranquilo.

Antes do nascimento, é preciso deixar tudo pronto para a chegada, depois, os custos fixos sobem bastante. Por isso, a coach financeira e fundadora do Finanças Femininas, Carolina Ruhman Sandler, dá a dica: o ideal é que se tenha uma reserva para o primeiro ano da criança. Confira, então, um passo a passo para se preparar financeiramente para esse momento.

1) Comece a poupar

Quanto antes você der início ao planejamento, mais fácil será evitar uma mudança abrupta no seu padrão de vida quando a criança nascer. Carolina explica que o ideal é começar a sua reserva financeira mesmo antes de engravidar. Mas claro: nem sempre isso é possível. Por isso, comece a organizar-se assim que puder.

2) Liste as despesas futuras

Para saber o quanto precisará poupar, é preciso fazer as contas. Comece fazendo uma lista de quais seriam os seus gastos durante a gravidez, no parto e, posteriormente, o seu custo fixo mensal com a chegada do bebê. Abaixo, Carolina lista algumas dessas possíveis despesas:

Pré-natal e parto

– Exames (se não tiver plano de saúde);
– consultas (se não tiver plano de saúde);
– vitaminas e remédios;
– roupas de gestante;
– móveis para o quarto do bebê;
enxoval do bebê;
– parto e internação.

Custos fixos do bebê

– Pediatra (se não tiver plano de saúde);
– fraldas;
– remédios;
– roupas e acessórios;
– brinquedos;
– creche ou escolinha;
– alimentos.

financas_gravidez_interna

3) Faça as contas

Com essa lista em mãos, você poderá partir para a pesquisa de preços. Os valores dos itens para grávidas e bebês variam muito, por isso, é fundamental comparar preços em diversas lojas, físicas e virtuais. Ferramentas de comparação de preços, como o Zoom, Buscapé e Google Shopping podem ajudá-la.

4) Escute quem já passou por isso

Esse mercado também cheio de itens “indispensáveis” – que na verdade não o são. Por isso, é importante ficar atenta para não acabar gastando com produtos que não valerão a pena. Pesquisar e ouvir a opinião de quem já experienciou a maternidade pode ser muito útil nesse momento.

5) Aproveite doações e empréstimos

Muitos itens são usados por pouquíssimo tempo pelo bebê, principalmente roupas, e outros podem ficar em perfeito estado depois do uso, como um berço. Por isso, é muito comum que mães emprestem ou doem produtos entre si. Esse hábito é ótimo para que você possa reduzir a lista de despesas nessa fase.

Não se planejou?

Se o bebê já está caminho e você não estava preparada para isso, tudo bem. A hora agora é de repensar suas finanças. Depois de listar as despesas e pesquisar preços, você saberá mais ou menos quanto precisará guardar. Assim, poderá buscar onde cortar gastos e reorganizar o orçamento.

* Com informações do livro “Finanças Femininas”, de Carolina Ruhman Sandler e Samy Dana.
 

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Mariana Ribeiro

Jornalista com sotaque e alma do interior. Longe das finanças, passa o tempo atrás de música brasileira, rolês baratos e ônibus vazios. Acredita que o mundo seria outro se as pessoas tentassem se ver.
Fale comigo! :) mariana@financasfemininas.com.br

close