O desejo por uma novidade no armário: um desafio de consumo

O desejo por uma novidade no armário: um desafio de consumo

*Carolina Camocardi

Ano novo, vida nova, muitas compras e uma conta conta imensa para pagar. Por que todo ano começa igual? Consumimos demais no fim do ano e quando o mês vira continuamos comprando mais e mais. A desculpa é simples: precisamos estar preparadas para enfrentar o ano, como se no decorrer dos doze meses não fossemos gastar nada.

A virada do ano traz a necessidade de renovação. Tudo que não aconteceu de acordo com os nossos desejos precisa ser repensado e novamente entrar na lista de objetivos para um ano feliz. O que não percebemos é que renovando esses votos, acabamos transformando sonhos em necessidades, e necessidade gera consumo.

Existe até um termo para esse processo que acontece com todos nós: neo-necessidade. Como explica a psicanalista, Alessandra Cejkinski “o objeto, antes uma escolha, agora torna-se uma necessidade”.

E por que isso acontece? Porque não temos o discernimento entre quero e preciso. Para nos autoconvencer, transformamos o querer em: preciso disso para viver. Este é o consumo emocional, a compra é sempre associada a um conceito positivo de comportamento. E isso traz prazer até que se tenha consciência do rombo na vida financeira.

Começamos o ano devendo, com pendências do ano anterior e achando que tudo pode ser diferente agora, mas em poucos dias percebemos que o muito que compramos acaba virando um vilão.

Temos que ter cuidado quando a busca pela novidade se torna insaciável, principalmente nesta época de liquidações. Porém, o novo é extremamente importante quando bem direcionado. É uma ferramenta positiva para reinventar, criar, aprender e renovar, pois é isso que buscamos neste momento, certo?

Então inclua na lista resoluções de 2018: descobrir o novo dentro de você. Amplio a proposta para o descobrir o novo dentro do armário também, assim vem a saciedade e não precisamos cair na tentação da liquidação.

compulsao-compras

Comece limpando e organizando as roupas e acessórios. Separe-os em três blocos: o que serve e está em uso volta para o guarda-roupa, o que não quer mais vai para doação ou bazar e o que está em dúvida vai para análise. Avalie porque não está usando a peça, se é questão de ajuste ou se pode reformar e transformar em algo novo. Às vezes uma pequena transformação prolonga a vida útil do item e você ganha uma novidade no armário.

Para terminar o processo, é hora de ser criativa. Use as peças de formas inusitadas. É hora de ousar, de fazer o velho virar novo. Uma nova combinação entre peças antigas pode trazer a renovação que procurava. Pense no armário como um quebra-cabeça. As peças estão ali, basta serem recombinadas. O desafio está lançado! Feliz 2018!

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Carol Camocardi

Carol Camocardi

close