O que fazer com a rescisão do contrato de trabalho

O que fazer com a rescisão do contrato de trabalho

Se a demissão bateu à sua porta, mais do que nunca será fundamental ter cuidado com as finanças. O dinheiro recebido na rescisão poderá ser muito útil no período imediatamente após a perda do emprego. A atenção com ele será essencial para o seu bem-estar ou para, pelo menos, amenizar as consequências do desemprego.

Se você perdeu o emprego, seja prudente e não desperdice o dinheiro que recebeu na rescisão, afinal, a sua recolocação no mercado pode demorar mais que o esperado.  Estude os gastos com cautela para evitar problemas.

“A primeira coisa (ao receber o dinheiro da rescisão) é fazer um planejamento financeiro, saber do que vai precisar nos próximos meses”, explicou Marcio Barros, professor da IBE-FGV e doutor em Finanças.

Você também pode gostar:
O que fazer quando se está desempregada e com o nome sujo
Veja 7 cursos online e gratuitos para enriquecer seu currículo
11 características necessárias para quem quer empreender

Se você tiver dívidas, deve em primeiro lugar aproveitar o dinheiro para quitá-las. Nesse caso, segundo Barros, deve-se verificar com o credor opções que possam facilitar o pagamento e tentar conseguir um desconto. Renegociação é o caminho mais sensato para resolver os problemas. Afinal, da mesma forma como você tem interesse em livrar-se das suas pendências, o credor também precisa receber o dinheiro.

Se você não tiver dívidas, o ideal é deixar na poupança o dinheiro que for precisar no curto prazo, pois ele poderá ser resgatado a qualquer momento e sem tributação. A poupança poderá ser considerada uma espécie de reserva de segurança. Vale lembrar que o rendimento desta aplicação está abaixo da inflação, o que corrói seus ganhos. Por isso mesmo a caderneta deve ser pensada como uma forma de lidar com dinheiro para emergências, não como um investimento.

Continue a ler a matéria na próxima página!

Se você tiver um montante que possa deixar aplicado por um período acima de 90 dias, pode optar pela LCI (Letra de Crédito de Imobiliário) ou pela LCA (Letra do Crédito do Agronegócio), por exemplo, segundo Barros. Tais opções rendem mais do que a poupança. No entanto, precisam de um aporte maior para começar e não é possível resgatar o dinheiro antes de um prazo mínimo de 90 dias.

Dependendo de sua situação financeira, você também pode diversificar suas aplicações, aplicar em CDB (Certificado de Depósito Bancário) ou fundos de renda fixa.

shutterstock_341398739

Segundo o professor, para que a rescisão renda e dure mais tempo, é preciso encontrar as melhores aplicações. De acordo com ele, geralmente são as que envolvem mais riscos, como fundos multimercados ou fundos de ações. De qualquer forma, vale ressaltar que essas opções não são as mais indicadas para investidoras iniciantes.

Independente de qual for sua condição financeira se ficar desempregada, seja uma situação de endividamento ou um cenário mais tranquilo, lembre-se de ter responsabilidade com o dinheiro recebido na rescisão e de não gastá-lo de forma precipitada.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close