Qual é o valor do trabalho da mulher em casa?

Qual é o valor do trabalho da mulher em casa?

“Meu marido veio reclamar esta semana que estou ganhando muito pouco. Sei que se somar o que ganho com as minhas tarefas como mãe e dona de casa vou ganhar tanto quanto ele, mas eles so entendem números! Vocês sabem como posso levar este cálculo para ele? Obrigada!”, Marina (o nome da leitora foi alterado por questões de privacidade).

Depois de ter filhos, a vida – e consequentemente a carreira – de muitas mulheres muda. Cada uma lida de uma forma e não existe uma fórmula certa para encontrar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Para solucionar a dúvida da Marina (nome fictício), conversamos com Viviane Mourão, diretora da empresa Meta&Vida Desenvolvimento em Recursos Humanos.

Segundo ela, a forma mais fácil de avaliar o valor do trabalho como mãe e dona de casa é calcular o valor que o casal deixa de gastar com empregada, babá, cozinheira, perua escolar e motorista, por exemplo. “Você poderia ver as funções que está ‘substituindo’ e ver quanto isso custa no mercado”, sugere ela. No entanto, esse cálculo serve apenas para dar uma ideia – existe um valor intangível, que é a mãe junto com os filhos no dia-a-dia, que não existe forma de avaliar. “A mãe tem um papel fundamental na parte emocional e psíquica do ser humano”.

Para pensar neste valor intangível, a consultoria de tendências Mindset, do grupo WGSN, desenvolveu o conceito de “purple money”. “As mulheres passam a reconhecer o papel de mediadora e agregadora social que têm no ambiente de trabalho e em casa. Elas sabem o valor que essa doação tem para harmonia e estabilidade dos que estão ao seu redor, e passa a usá-la como uma nova moeda de troca, o purple money. Todo o trabalho e esforço que elas têm para manter a harmonia e estabilidade emocional das pessoas que as cercam custam tempo e dedicação, geram valor e, por isso, devem ser recompensadas de alguma maneira”.

Viviane recomenda para mulheres na mesma situação que revejam o acordo com os seus parceiros.  “Quando você decide ficar em casa para cuidar dos filhos, é uma decisão que tem que ser tomada em comunhão com o marido. Se não existe mais este acordo, a questão é olhar para o relacionamento dos dois e rever o combinado”, recomenda.

Para esta conversa, a especialista em RH explica que o casal deve discutir os objetivos pessoais de cada um, do próprio casamento e da educação dos filhos e rever os papeis de cada um, dentro e fora de casa. “Como se fosse uma empresa mesmo”, diz.

Existe um preconceito de que não existe valor em ficar em casa para cuidar dos filhos“, reconhece, mas ela acredita que o cenário está mudando. “Hoje o homem participa mais do dia-a-dia da casa, desde a definição do orçamento doméstico e na participação em reuniões na escola, como no acordo em quem trabalha e quem cuida da casa e dos filhos. Já vejo alguns casos em que os homens, insatisfeitos com seus empregos, fazem um acordo com as esposas para que elas trabalhem, enquanto eles se requalificam para uma mudança de carreira”.

A decisão será de vocês: voltar a trabalhar ou continuar em casa. “Este é um momento importante e a mulher deve se sentir amparada pelo marido, principalmente se resolver voltar a se dedicar ao trabalho”, diz Viviane. E se a ideia for ficar em casa, não se esqueça de estabelecer o valor do seu purple money!

Você tem alguma história para nos contar ou uma dúvida para solucionar? Escreva para faleconosco@financasfemininas.uol.com.br para aparecer nesta seção!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

Carol Sandler

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close