Qual o preço justo de um produto orgânico?

Qual o preço justo de um produto orgânico?

Ter uma dieta totalmente saudável não é simples e também não costuma sair barato. Afinal, todas nós sabemos que os preços de produtos orgânicos costumam ser bem elevados. Hora da Comida fala sobre uma iniciativa que pode mudar este quadro. 

Hora da Comida foi conhecer o Instituto Chão, aberto há 15 dias na cidade de São Paulo, que vende ao consumidor final produtos orgânicos, in natura e processados, pelo preço da compra – ou seja, sem lucro. Mas não simplifique, pensando que é um lugar para a compra de produtos baratinhos. A proposta dos seis jovens, que montaram e tocam o dia-a-dia dessa associação sem fins lucrativos, é muito mais interessante e ambiciosa.

Por trás do projeto, que foi amadurecido longamente, está a busca de uma forma de comercialização justa em que não haja exploração de nenhum elo da cadeia – nem do produtor, nem dos funcionários e nem dos compradores. E como isso é feito? Na loja, que é grande, arejada e com muito verde, os custos do Instituto estão expostos numa lousa, com atualização diária, com detalhamento dos custos dos produtos, fretes, além de impostos e despesas com funcionários. Há também a expectativa de vendas para que a equação final, entre entradas e saídas, seja equilibrada e viabilize o projeto.

instituto-chaoCrédito da foto: Hora da Comida

É uma ótima oportunidade para você descobrir como é calculado o preço final de um produto, além de muito educativo. Afinal, você vai poder comparar preços com os cobrados em outras lojas, percebendo que o valor pedido, às vezes, é abusivo.

A contabilidade transparente é a chave para que o consumidor faça a sua parte. “Nossa única fonte de financiamento são os frequentadores”, explica Vladimir Novaes, um dos empreendedores. O consumidor pode se transformador em um “aliado” por dois caminhos: pode pagar uma contribuição mensal de R$ 60 e comprar livremente. Ou então, a cada compra fazer uma contribuição avulsa. A sugestão é que pague R$ 0,35 para cada R$ 1,00 gasto. Ou seja, quem compra R$ 50 em produtos, contribuiria com R$ 17,50. Mesmo com a contribuição, o preço final dos produtos fica abaixo dos supermercados.

A contribuição, no entanto, não é obrigatória. Você pode contribuir com um valor menor ou até não contribuir, se não puder naquele momento. Até porque, explica Novaes, o projeto engloba a ideia de redistribuição de renda – uma forma de permitir que todos tenham acesso aos orgânicos, ainda restritos a um grupo com maior renda.

Serviço: Instituto Chão
Endereço: Rua Harmonia, 123, Vila Madalena – São Paulo (ver mapa)
Telefone: (11) 3530.0907

*Rita Tavares é jornalista e trabalhou na área de economia, fez cursos de culinária e fundou o blog Hora da Comida. Rita  traz receitas, dicas de compras, e mostra que na cozinha o “menos é mais” funciona melhor que o “gourmet”.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Rita Tavares

Rita Tavares

Hora da comida

close