Rede social usa inveja e ostentação para ganhar dinheiro

Rede social usa inveja e ostentação para ganhar dinheiro

Que funk ostentação, que nada: hoje, vivemos mesmo na era da ostentação, pura e simples. Quem tem mais dinheiro, o melhor carro, a bolsa mais cara, janta no restaurante mais badalado e faz as melhores viagens – e posta tudo no Facebook e Instagram.

Muito já se falou sobre a questão das vidas editadas: só vemos os melhores momentos dos outros em nossas timelines. Ninguém compartilha foto de rotina, da nossa luta do dia a dia, apenas daquilo que não gostaria que fosse esquecido (por você e todos os outros). Resultado: achamos que a grama dos outros é sempre mais verde. Afinal, é só isso que ele posta.

Fiquei horrorizada outro dia, quando recebi o convite para entrar para uma plataforma para influenciadores, na qual você pode “exibir suas compras” (a expressão é deles, não minha) e ganhar comissões de venda. A ideia é provocar inveja nos outros e fazer com que seus seguidores abram as carteiras.

“Exibir-se nas redes sociais onde os usuários se conectam entre si através das suas compras, compartilhando histórias, trazendo dicas úteis para fazer compras e ‘invejando’ uns aos outros”, diz com orgulho o convite para entrar para o Envicase (mostruário de inveja, em uma tradução livre – em inglês tudo fica mais cool, não?).

São tantos os problemas que não sei nem por onde começar, mas a mensagem geral é: vamos nos exibir, provocar inveja e ainda ganhar dinheiro com isso. As pessoas se conectam pelas suas compras, e não pelos seus interesses. Amizade para quê, se você pode seguir o perfil da sua influenciadora preferida e saber onde ela compra todas as suas roupas?

rede_social_compras_interna

É sintomático que uma rede social para provocar inveja tenha se tornado algo socialmente aceitável no nosso meio. Exibir-se e ostentar, um jeito de ganhar a vida. Alguns espertos ganham dinheiro com a inveja alheia, enquanto a maioria entra em um site para sentir-se mal com a sua própria vida (e seu armário) e achar onde gastar dinheiro para tentar recuperar um pouco de autoestima.

Não é à toa que bato tanto na tecla: compare-se menos. Olhe mais para o que você já tem, e não para o que falta. Se você foca apenas no que não está lá, você nunca estará satisfeita – e nem será feliz. Pelo contrário, vai entrar em redes sociais para sentir inveja dos outros.

Vamos mudar este ciclo? Para isto, é simples. Menos Facebook e mais propósito. Menos comparação e mais gratidão. Menos inveja e mais amizade. Tenho certeza que esta é uma receita boa para uma vida mais plena e próspera (de tudo aquilo que realmente importa).

 

Fotos: Shutterstock

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

Carol Sandler

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close