Será que estou sendo uma pessoa chata?

Será que estou sendo uma pessoa chata?

Você é chamada para uma reunião entre amigos, fica toda animada para um encontro divertido com o pessoal, sabe que vão ter pessoas novas por lá e fica ainda mais animada, pois é uma oportunidade de expandir seu círculo social. Em meia hora de conversa você percebe que a noite vai ser um fiasco: um amigo seu levou um colega do trabalho que é super chato e acaba com o clima de todo mundo. Todo mundo já viveu alguma situação pelo menos parecida com essa, não é verdade?

Lidar com uma pessoa chata é o jeito mais fácil de acabar com o seu humor. Assim como é difícil aguentar a chatice alheia, é possível que bata uma certa insegurança diante de novas pessoas: “Será que estou sendo chata?”

Ter esse tipo de preocupação é saudável, assim podemos avaliar nossas posturas e evitar comportamentos desagradáveis. Para quem acha que o assunto é irrelevante, vale a pena rever os conceitos. Uma pessoa chata em situações de convívio social também tem grandes chances de ficar com a imagem manchada entre colegas de trabalho, em uma negociação com novos clientes. A chatice pode ser uma pedra no seu sapato, um atraso em suas conquistas profissionais.

Pensando neste assunto, o Business Insider listou alguns comportamentos típicos de pessoas chatas. Vale a pena conferir!

Conversa sem equilíbrio

Sabe aquele velha história de que as coisas não devem ser “nem tanto ao céu e nem tanto à terra”? Pois é, os chatos não costumam saber muito bem como é isso. De um lado existem aqueles que falam ininterruptamente durante uma conversa, é praticamente um monólogo, eles simplesmente não dão abertura para mais ninguém falar.

Na outra ponta estão os que fazem justamente o contrário: escutam e não dizem absolutamente nada. Balançam a cabeça, concordam com uma coisa ou outra, mas em geral mal abrem a boca. É o sinal mais curto e grosso da falta de interesse em interagir com o outro lado da conversa.

Falta de humor 

Pessoas que se levam muito a sério ou levam o outro muito a sério também podem ser bem chatas. Não é preciso ser uma humorista para arrancar risadas das pessoas. Leve uma conversa leve, ache brechas para comentários descontraídos, enfim, seja agradável e o bom humor entre os dois lados será algo natural.

Escravos da rotina

Pessoas que não se dispõem a fazer programas diferentes, a conhecer lugares novos e a interagir com novas pessoas dificilmente terão algo interessante a acrescentar. Afinal, como expandir os horizontes fazendo sempre as mesmas coisas? Os assuntos se repetem, falta novidade, faltam novas perspectivas. Ainda que você não possa fazer algo diferente todos os dias, tente fugir da rotina sempre que possível, mesmo que seja nas pequenas coisas.

comportamentos chatos

Falta de posicionamento

Uma pessoa sem argumentos em uma conversa pode ser tão irritante quanto aquela que quase te obriga a engolir o que pensa. Buscar sempre ser imparcial, evitar opinar, ter medo do que os outros vão pensar. Tudo isso demonstra insegurança e dificulta o diálogo. Que mal há em discordar da opinião alheia? Desde que haja respeito entre as duas partes, debater pontos de vista diferentes sobre um determinado assunto pode ser construtivo para todas as partes envolvidas na conversa.

Ser irredutível

No sentido oposto de quem nunca tem nada a dizer, há também aqueles que se recusam de todas as formas a enxergar o ponto de vista do outro lado da conversa. Não abrem mão do que pensam, acham um absurdo qualquer opinião contrária, querem ser ouvidos, mas jamais abrem espaço para que o outro exponha um contraponto. Pense bem, como exigir dos outros algo que você mesma não é capaz de fazer?

Não saber incluir outras pessoas na conversa

O assunto começa entre A e B. Acontece que C também está sentado à mesa, apesar de não estar inteirado sobre a conversa. O que é mais lógico? Mudar para um assunto em comum entre os três ou tentar contextualizar a terceira pessoa sobre o que estão falando. Se o caminho não for nenhum desses, é sinal de que você está sendo deselegante e deixando bem claro que não tem interesse na participação daquela pessoa na conversa.

Pense bem a respeito de cada tópico: todas as situações de chatice podem ser aplicadas profissionalmente. A conversa desequilibrada pode lhe atrapalhar em uma reunião. Não ter senso de humor complica sua relação entre os colegas de trabalho. Ser escrava da rotina não lhe ajudará a levar novas ideias ao escritório. Assim como não ter um posicionamento lhe impedirá de dar contribuições significativas na hora de uma tomada de decisão. Ser extremista em seus argumentos fará com que sua opinião seja evitada na equipe ou fará de você uma chefe odiada. Para finalizar, a falta de capacidade de incluir novas pessoas em seu círculo demonstra a sua dificuldade em lidar com equipe.

Então, se você identificou-se com algum dos exemplos acima, procure ser mais flexível, reveja suas posturas. Além de criar um ambiente mais favorável para si mesma, você só terá bons frutos a colher!

 

 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close