Tenho dinheiro parado e não sei o que fazer. Como investir?

Tenho dinheiro parado e não sei o que fazer. Como investir?

É muito comum, ao receber algum dinheiro extra, não saber como agir e, uma hora ou outra, acabar gastando-o e se arrepender depois. Podem ser benefícios como o 13º salário e férias, alguma indenização e até herança. Porém, deixá-lo parado significa perder poder de compra com o passar do tempo. Mas então vem a dúvida de como fazê-lo render da melhor forma possível.

Vamos imaginar que você tem cerca de R$15 mil guardados e não tem ideia de como investir esse montante. Colocar o valor debaixo do colchão não é uma opção e você pode fazer mais dinheiro a partir desta quantia. A coach financeira, fundadora e CEO do Finanças Femininas, Carolina Sandler, dá algumas dicas de como realizar seu sonho com esse valor, independente de qual ele seja.

Escolha qual destino para parte do dinheiro

Pense quanto é o seu salário. O ideal é que você tenha pelo menos de três a seis meses de pagamento guardados em um fundo de emergência. “Esse dinheiro é realmente para te salvar em um pepino de forma rápida”, pontua Carol.

O ideal é que uma parte deste valor fique guardado na poupança, onde não há pagamento de Imposto de Renda e é possível sacar sem taxas e a qualquer momento. “Neste caso, acredito que deixar R$ 10 mil na poupança e usar os outros R$ 5 mil para investir é um bom negócio. Assim, o valor menor pode ser investido de formas mais agressivas, a depender do seu objetivo”, destaca.

Primeiro passo: traçar seus objetivos

Tudo que começamos na vida deve vir munido de objetivos claros. E a forma como você lida com seu dinheiro não pode ser diferente. Analise suas opções e o que quer para o futuro: dar entrada na casa própria, poupar para a aposentadoria, fazer uma grande viagem, renovar os móveis do apartamento.

Depois, calcule o tempo que você pretende esperar e escolha a melhor aplicação. “Sem objetivo, o dinheiro pode ser perdido e você até fica sem coragem de usá-lo. Então, tenha em mente o valor que quer chegar e a data para isso. Chegou nesse dia, aí sim você saca o dinheiro, vai realizar seus sonhos e ser feliz”, comenta Carol.

Pesquise a fundo suas opções

Agora que você já definiu o valor a ser investido, é necessário pesquisar bem onde colocar seu dinheiro. As opções são várias: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, Fundo de Previdência. Para isso, você precisa saber o que significa cada um e qual dará maior aporte ao seu sonho.

Tesouro Direto: é um programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas pela internet. Qualquer um pode investir, basta ter um CPF e uma conta corrente. O investimento mínimo é de R$ 30. Existem vários tipos de títulos, que correspondem a pequenas partes da dívida pública brasileira. Como o risco de o Brasil dar um calote é baixo, o risco dos títulos também é. Você pode tanto esperar o vencimento do título, quanto vendê-lo antes se precisar do dinheiro.

Mas um alerta: se você vender o papel em tempos de volatilidade e instabilidade, pode acabar perdendo dinheiro. Por isso, tenha sempre em mente que investir no Tesouro Direto é algo de longo prazo. Vale destacar que é um investimento conservador, tem bons rendimentos e tem baixas taxas.

CDB: Os Certificado de Depósito Bancário são títulos de dívidas emitidos pelos bancos. Assim, sua rentabilidade se dá pelos juros que os bancos te pagam por esses títulos. Em outras palavras, você empresta dinheiro ao banco e recebe juros por isso. O banco usa o dinheiro que obtém com a venda dos CDBs para conceder crédito.

As taxas que o banco paga podem ser estabelecidas antes da venda do CDB (prefixadas) e assim você já sabe o quanto aquele título vai render, ou relacionadas a alguma variável com valor conhecido apenas no vencimento (pós – fixadas), como a taxa de remuneração dos CDIs. Alguns bancos permitem que os CDBs sejam negociados sem carência, mas muitas instituições estabelecem um período mínimo que o dinheiro deve permanecer aplicado.

LCI: As Letras de Crédito Imobiliário são aplicações de renda fixa, ou seja, a investidora já sabe quanto vai ganhar ao longo do rendimento. O sistema de compra é bem semelhante com o CDB e é uma boa opção para quem quer um investimento mais seguro. As únicas instituições que fazem este investimento são bancos ou corretoras de valores.

Nos grandes bancos, o valor mínimo para aplicar em LCI é de R$ 30 mil, com exceção do Banco do Brasil, que permite aplicações a partir de R$ 1 mil. Se o seu investimento for baixo (até R$ 50 mil) tenha paciência, porque o retorno será em médio e longo prazo. Procure em diversas instituições qual oferece melhores condições de rendimento na sua aplicação. Vale lembrar que esses investimentos têm baixa liquidez, ou seja, os bancos estabelecem um período mínimo que o dinheiro deve permanecer investido e você não poderá sacá-lo antes disso.

LCA: As Letras de Crédito do Agronegócio consistem em títulos emitidos por instituições financeiras para financiar o setor agrário. Em outras palavras, o banco usa o dinheiro da investidora para emprestar a produtores rurais, como forma de fomentar a atividade no País.

É considerado um investimento de renda fixa, sendo que a investidora pode escolher se quer sua rentabilidade pré ou pós fixada. No primeiro caso, ela já fica sabendo de antemão o quanto vai receber de juros pela aplicação. Na segunda hipótese, a remuneração vai variar de acordo com o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que costuma acompanhar a taxa básica de juros. Ou seja, nesses casos, quanto mais alta a taxa Selic, melhor a remuneração da investidora.

Fundo de Previdência: é uma aposentadoria complementar à previdência pública e que não está ligada ao sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). São duas opções:

PGBL – indicado para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda. Com ele você declara as contribuições realizadas durante o ano no seu Imposto de Renda até o limite de 12% da sua renda bruta anual, e com o benefício fiscal, pode pagar menos imposto. Nesse tipo de plano, se você for retirar o seu dinheiro, o imposto é cobrado sobre o valor que você investiu e também sobre o rendimento.

dinheiro-investir

VGBL – para quem faz a declaração simplificada ou não faz declaração. Com esse plano, as contribuições não podem ser inseridas na sua declaração de IR. No entanto, quando você retirar o dinheiro, o imposto é cobrado apenas sobre o valor do rendimento. Essa opção também é ideal se você tem um plano tipo PGBL e já contribui com 12% da sua renda bruta anual.

“Você tem que comparar as opções disponíveis e não adianta mandar um e-mail para o gerente do seu banco perguntando como investir. Ele provavelmente vai te apresentar um produto que precisa vender para bater meta. Mas você pode pedir duas opções de CDB, duas opções de LCI e aí sim comparar isso com o Tesouro Direto. Assim, você consegue ver bem de que forma vai conseguir um maior rendimento”, aconselha Carol.

Se você considera aplicar o dinheiro em um fundo de investimento, tome cuidado com as altas taxas de administração. “Se você escolher um fundo que vai render perto de um CDI, considere se não é melhor investir no Tesouro Selic, que não tem taxa de administração, por exemplo”, ressalta.

Como usar o dinheiro investido?

Sabemos que imprevistos acontecem ao longo da vida, e é importante estar preparada para eles. Mas se você chegou até aqui sem ter resgatado o investimento com antecedência e segurou a vontade de usar o dinheiro, parabéns! Você está mais perto do seu sonho e conseguiu manter seu objetivo.

Seja comprar sua casa própria, ou o carro e até mesmo fazer um intercâmbio. Com essa experiência, é possível aprender que não existe o melhor investimento do mundo, e tudo depende do prazo estabelecido por você. “Existe o investimento que é certo para você, de acordo com seus objetivos e do quanto você tem. Considerando que você já tem R$15 mil guardados, vai conseguir fazer muita coisa bacana com o investimento correto”, conclui Carol.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Gabriella Bertoni

Gabriella Bertoni

Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

close