Uma perversa insegurança: a financeira

Uma perversa insegurança: a financeira

*Natalia Leite

Pergunte a uma mulher perto de você: qual é o número que você gostaria de ver quando subir na balança novamente? Experimente agora questionar: quantos filhos você gostaria de ter? É bastante provável que ela tenha respostas para estas perguntas na ponta da língua. Enquanto escrevo, fiz a brincadeira aqui no escritório da Escola de Você. Chuva de respostas! “63kg, uma menina”, “70kg, um casalzinho”.

Agora tente fazer a mesma mulher dizer qual é o número da riqueza para ela. Qual é o número que ela enxerga em suas aplicações para saber que alcançou a segurança financeira desejada. Meu palpite é que ela:

1. Vai estranhar a pergunta.
2. Dizer que não quer ser rica, quer apenas ter conforto.
3. Chutar um número qualquer, sem nenhuma conexão com um planejamento lógico.

O que a experiência de conversar sobre autoconhecimento, empoderamento e empreendedorismo com milhares de mulheres na Escola de Você mostra é que há uma espécie de negação da temática finanças. Vamos olhar com mais cuidado? Esta negação é mais uma consequência. A raiz do problema, da decisão de ignorar um tema tão vital, está em algo mais profundo: no modo como fomos educadas. A maioria de nós foi socializada à dependência. Dependência do pai, de um parceiro, do chefe. Seja de quem for, a dependência é sempre sinônimo de perda de autonomia e possibilidade de escolher.

Minha sugestão, motivada pelo profundo desejo que você tenha dinheiro para viver como quiser é, por favor, dê atenção a este assunto. Talvez você não consiga mudar sua condição de dependência hoje. E tudo bem! Porém, quanto mais cedo este assunto entrar no seu radar, mais rápido você decidirá estudar, aprender, empreender, pedir o merecido aumento, economizar, enfim, cuidar da sua vida financeira. Minha amiga, qualquer coisa abandonada não tem como ser próspera, concorda? Com seu bolso, vale a mesma lógica.

dinheiro-escola

Corta meu coração ver mulheres em relacionamentos dos quais gostariam de sair correndo. Corta meu coração ver mulheres em empregos que detestam. Corta meu coração ver mulheres incapazes de dizerem o que pensam. Me machuca ver mulheres aprisionadas por não poderem bancar a própria saída de posições desconfortáveis. Outro fato que me dói muito é ver mulheres com dificuldades de compreenderem os desdobramentos econômicos de discussões no trabalho, simplesmente porque não têm contato com o tema. A nossa vida financeira pessoal é o primeiro espaço de aprendizagem sobre como lidar com dinheiro. Uma parcela importante do mundo dos negócios! Dizer que não gosta, que não entende, que ‘não é seu forte’, não vai mudar a realidade ou facilitar sua vida.

Por favor, acredite na experiência de alguém que já tomou algumas rasteiras grandes pela ingenuidade de acreditar que terceirizar as contas funciona. Não funciona. Não funciona na vida pessoal. É uma tragédia nos negócios. Meu desejo é que toda mulher crie o fundo “saco cheio” ou fundo “#partiu”. Esse fundo é o dinheiro para cada uma bancar a própria dignidade. Se você ainda não tem independência financeira e está tudo bem, ótimo! Mas a partir do momento que alguém ou alguma situação te obrigar a trair a si mesma, a fazer ou suportar qualquer coisa que vá contra a sua essência, esse dinheiro é sua alforria. Não precisa começar com R$ 100 por mês. Comece com R$ 10 por mês. Mas comece. Comece com R$ 1 por dia. Mas comece.

Desejo que você tenha uma vida longa. E que chegue lá na frente cheia de disposição e em condições de bancar suas escolhas. Prometo que ter um objetivo financeiro, por mais discreto que seja (R$ 10 por semana), vai ajudar. Toda maratona começa com o primeiro passo. Faça as pazes com as contas e conte com Finanças Femininas e Escola de Você ao longo da jornada. Topa?

*Natalia Leite é ligada no 220v, curiosa e otimista incorrigível. Mestre em Ciência da Informação, jornalista e co-fundadora de duas empresas dedicadas à formação de pessoas extraordinárias: a Escola de Você – plataforma de cursos online gratuitos para mulheres – e a Sonata Brasil, especializada em treinamentos corporativos. Para fazer sugestões de temas para esta coluna escreva para natalialeite@escoladevoce.com.br

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Natália Leite

close