Use a primeira parcela do 13º salário para quitar dívidas

Use a primeira parcela do 13º salário para quitar dívidas

A intenção da maioria dos brasileiros é usar o 13º salário para o pagamento de dívidas, assim como aconteceu nos últimos dois anos. Para 2015, no entanto, o percentual de pessoas com intenção de fazer isso aumentou em relação ao ano anterior, bem como caiu o interesse de usar o dinheiro para compra de presentes de Natal. De acordo com dados da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), 74% dos brasileiros devem usar o benefício para quitar dívidas, um aumento de 8,8% em relação a 2014.

Quanto ao uso de parte do pagamento para a compra de presentes, somente 8% dos entrevistados disseram ter essa intenção, uma queda de 27,7% em relação ao ano passado, em que 11% dos entrevistados pretendiam pagar presentes com parte do benefício. Da mesma forma, somente 8% estão com intenção de aplicar parte do dinheiro ou guardá-lo para as despesas de início de ano, como material escolar, IPVA, IPTU, etc. Isso também representa uma queda de 27,7% em relação ao ano anterior. De um modo geral, o aumento do desemprego, a inflação alta, juros elevados e economia em recessão estão refletindo diretamente na capacidade do orçamento da população. Na primeira quinzena de novembro, a primeira parcela do benefício será depositada. Sendo assim, é momento de organizar o pagamento das dívidas.

mulher-contando-dinheiro-13

 

 

Dê prioridade às dívidas mais caras

Suas dívidas mais caras não necessariamente são aquelas com valor mais alto, mas sim as que possuem juros mais elevados. Por exemplo, uma dívida de R$ 700 no empréstimo consignado, considerando juros anuais de 35%, é mais barata do que uma dívida de R$ 100 no rotativo do cartão de crédito, com juros que chegam a 400% ao ano. Quite aquelas dívidas com potencial para virar uma bola de neve com mais rapidez.

Limpe seu nome

Cheque a sua situação em órgãos como Serasa ou SPC e use o dinheiro para pagar pendências antigas e regularizar seu nome. Ficar inadimplente pode implicar em algumas situações desagradáveis, como ficar impedida de tomar posse em um concurso público, caso conste no edital a necessidade de adimplência. A pessoa com restrições no nome também fica impedida de abrir conta corrente no banco.

Renegocie dívidas atrasadas

Está sem condições de arcar com parcelas atrasadas e as dívidas estão se acumulando? Aproveite a entrada do benefício para dar como entrada em uma renegociação. Com o benefício em mãos e demonstrando sua boa vontade em pagar, o outro lado ficará mais disposto a oferecer uma renegociação boa para os dois lados. É importante fazer as contas para analisar como anda seu orçamento, os gastos que podem ser cortados e qual sua capacidade mensal para o novo parcelamento.

Fotos: Shutterstock

 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close