Você está se divorciando? Veja o que fazer

Você está se divorciando? Veja o que fazer

Quando casamos, sonhamos que o relacionamento vai durar para sempre. Mas com os dias de convivência, percebemos as nossas diferenças e brigamos para ter a harmonia dentro do lar. Às vezes  não é possível, por mais que tente resolver os problemas e passar por cima das diferenças, tem uma hora que a relação fica insustentável. O melhor a fazer é – infelizmente – se divorciar.

Toda separação é difícil. Mesmo sendo complicado, pense que a situação lhe servirá como um novo começo, possibilitando uma nova fase de aprendizado e de amadurecimento. Mas como lidar com tudo o que está acontecendo? O divórcio prevê uma série de processos e questões com os quais você vai ter que lidar.

Para fazer a separação de uma forma amigável, aprenda algumas dicas preciosas:

1- Seja organizada: Junte todos os documentos pessoais e bancários, certidões  e declarações de Imposto de Renda do tempo que estiveram juntos. Sendo uma mulher organizada você só tem a ganhar. Reúna os documentos pessoais, como certidões atualizadas de casamento e de nascimento dos filhos, comprovantes de propriedades financeiras e imobiliárias e provas de despesas pessoais e familiares, para avaliar quanto custa a vida de vocês.

Contrate um advogado que dará apoio durante o processo. “Se o casal não tiver filhos menores de idade ou incapazes, podem fazer um acordo e fazer o divórcio no próprio cartório. Em outros casos, podem escolher que apenas um ou dois advogados façam a separação“, orienta Luiz Kignel, advogado atuante na área de família e sucessão do PLKC Advogados.

A situação de divórcio é delicada e muito dolorida. Mesmo estando magoada, mantenha a cabeça e haja com a razão. “A organização é a base para iniciar a separação. Um detalhe importante é o Imposto de Renda, que pode definir exatamente o que será partilhado. Tudo vai depender do regimento que os dois escolheram no dia do casamento. Se o casal tiver tudo organizado certinho, o processo é menos doloroso e rápido”, afirma Daniela Caffaro, advogada especializada em planejamento patrimonial. 

2- Inspecione todo rendimento: Tenha em mãos todos os rendimentos financeiros e, juntos, escolham como será feita a partilha. Nessa hora, a melhor medida para fazer a partilha justa é com muita conversa. Evite brigas e perder o controle, isso só vai te prejudicar. Também não esqueça dividir todos os gastos do cartão de crédito, caso usem em conjunto.

Em casos de conta conjunta, avise imediatamente a gerente de seu banco que está se separando e que terão que fazer a partilha juntos. Lembre-se que toda essa divisão será de acordo com o regime de bens escolhido na hora do casamento. Não tente fazer manobras ou esconder bens do seu ex, isso pode dificultar e trazer problemas para você mesma durante o processo. Seja honesta e sincera nesta hora.

Também não vale fazer a impulsiva e aceitar qualquer acordo. Fique com tudo que é de seu direito, por mais que para resolver isso precise de muita conversa. “A divisão patrimonial é decidida na hora do divórcio e não é possível reverter a divisão. Já a de alimentos (que são as pensões) pode ser revista e renegociada”, diz Kignel.

3- Fique bem: Por mais que o divórcio esteja sendo dolorido, você precisa seguir em frente nessa luta. Nada de se render ao sofrimento e esquecer da vida. A partir de agora você é uma mulher solteira de novo e precisa começar do zero, com dignidade e segurança!

Tenha atitudes de alguém independente e resolvida. Comece com a abertura de uma conta bancária, caso ainda não tenha a sua, peça um novo cartão de crédito em seu nome e procure ajuda especializada. Se preferir, escolha outro banco e evite aquele que tinha a conta com seu ex-marido.

“A principal dificuldade é manter o lado emocional bem. Normalmente ambas partes estão desestabilizadas e, para conseguirem tocar o processo, precisam de um mediador. É importante que a mulher tenha dimensão como será o dia seguinte depois do divórcio. Este acordo vai traçar a vida dela ali pra frente. Tenha bom senso, ouça bons conselhos e haja com razoabilidade”, explica Luiz Kignel, advogado atuante na área de família e sucessão do PLKC advogados.

4- Peça ajuda: Evite procurar mais problemas durante esse período. Lembre-se que por mais dolorida que esteja saindo deste processo é importante perdoar e esquecer dos problemas passados. O que já foi, passou e precisa ser recomeçado!

Siga agora numa vida nova, faça a sua vida mudar. Mude móveis de lugar, faça uma limpeza do guarda-roupa, corte o cabelo e comece a fazer um esporte. Foque suas energias em coisas – e pessoas! – que levantem o seu astral.

Se estiver difícil segurar a barra sozinha peça ajuda de alguém. Escolha em quem mais confia e, se for preciso, procure ajuda médica. “Uma opção para agir com serenidade e fazer uma organização financeira depois do divórcio é procurar um consultor financeiro“, diz Kignel. Com a ajuda de outras pessoas vai ser mais fácil manter o controle da situação e passar por mais essa…

Você está passando por esta situação? Conte para a gente as suas dúvidas nos comentários.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

Carol Sandler

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close